Direto Paulo Macedo admite que CGD vai trabalhar com três sociedades de advogados por causa de incompatibilidades

Paulo Macedo, presidente da Caixa, regressa ao Parlamento uma semana depois de lá ter ido entregar a auditoria independente da EY aos atos de gestão do banco público entre 2000 e 2015.

Uma semana depois de ter entregado a auditoria independente da EY aos atos de gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) entre 2000 e 2015, Paulo Macedo regressa ao Parlamento onde vai ser confrontado pelos deputados com o relatório que identificou perdas de 1.200 milhões de euros em empréstimos de risco e investimentos ruinosos. Outra questão que leva o presidente do banco público à Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa: a denúncia do Acordo de Empresa na CGD, a pedido do Bloco de Esquerda. Tudo para acompanhar aqui em direto.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Paulo Macedo admite que CGD vai trabalhar com três sociedades de advogados por causa de incompatibilidades

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião