Custos com IPO agravam prejuízos da Raize. Negócio continua a crescer

Os custos com o marketing durante o IPO da Raize agravaram os prejuízos da empresa, que fechou 2018 a perder mais de 66 mil euros. Mas o negócio cresceu, assim como as receitas.

A Raize fechou 2018 com prejuízos de 66,4 mil euros. Os resultados foram penalizados por despesas superiores a 91,5 mil euros com marketing, relacionadas com o IPO concluído em julho. Apesar do desempenho ao nível do resultado líquido, a plataforma cresceu em popularidade e as receitas aumentaram.

Liderada por José Maria Rego, a Raize gere uma bolsa de empréstimos a pequenas e médias empresas (PME) dedicada aos pequenos investidores. Estes podem licitar juros e conceder microempréstimos às PME que procurem fontes alternativas e diversificadas de financiamento. A empresa entrou na bolsa de Lisboa a 18 de julho.

A operação ajudou a empresa a conquistar mercado. “A Raize aumentou a sua base de investidores (…). Para esse efeito, contribuiu o investimento realizado no lançamento da Oferta Pública de Venda (IPO) durante o primeiro semestre de 2018, o que levou a um aumento de notoriedade e reconhecimento do serviço e da marca por parte de um universo alargado de investidores”, sublinha a startup, no relatório e contas divulgado esta quarta-feira, através da CMVM.

Concretamente, o número de utilizadores particulares registados subiu de 22,7 mil em 2017 para 44,4 mil em 2018. A empresa processou quase 40 milhões de euros em pagamentos (carregamentos e levantamentos, novos financiamentos, cobranças e transações) e ajudou as PME a financiarem-se em quase 21,8 milhões de euros. O crescimento do negócio ajudou as receitas a aumentaram 75%, para 474.479 euros.

Para este ano, a empresa quer apostar num novo negócio: vai lançar um mercado virtual de depósitos com juros atrativos. Por outras palavras, vai juntar as poupanças dos utilizadores e negociar depósitos a prazo mais vantajosos com os bancos de menor dimensão. A data para o lançamento deste novo serviço ainda não está fechada.

“Será lançado durante o ano de 2019 o marketplace de depósitos bancários da Raize. O marketplace de depósitos vai permitir aos milhares de clientes da Raize aplicar as suas poupanças com taxas de juro mais atrativas junto de bancos nacionais e com o capital abrangido pelo Fundo de Garantia de Depósitos”, reconhece a empresa

Comentários ({{ total }})

Custos com IPO agravam prejuízos da Raize. Negócio continua a crescer

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião