Galp pagou 35,6 milhões de euros ao Estado em dividendos. Posição da Parpública vale quase 1.000 milhões

  • ECO
  • 12 Março 2019

A Galp Energia entregou um valor recorde de 35,6 milhões de euros ao Estado em 2018 sob a forma de dividendos, mais 17% do que no ano anterior. Posição de 7,48% vale 920 milhões.

A Galp Energia GALP 3,18% pagou 35,6 milhões de euros ao Estado em dividendos no ano passado, o montante mais elevado da década. Trata-se de um crescimento de 17% face a 2017, segundo o Público (acesso condicionado). O Estado detém 7,48% do capital da petrolífera, através da Parpública. É o segundo maior acionista da companhia.

No ano passado, a empresa liderada por Carlos Gomes da Silva subiu a fasquia nos pagamentos aos acionistas durante 2018, pelo que os 35,6 milhões de euros arrecadados pela Parpública incluem o pagamento antecipado, em setembro, de um dividendo de 27,5 cêntimos por ação. A tranche faz parte do dividendo total de 63 cêntimos já aprovados este ano.

A posição do Estado vale 920 milhões de euros a preços de mercado e, desde 2010, a empresa pagou 188 milhões de euros em dividendos ao Estado, de acordo com o Público. Esta participação ficou definida em outubro de 2017, após o vencimento de uma emissão de obrigações que tinha os títulos da Galp Energia como ativo subjacente.

Também a Amorim Energia beneficiou desta política mais generosa no que toca a dividendos. Mas a situação é de indefinição. A empresa é controlada em 55% pelas filhas de Américo Amorim e em 45% pela Esperança, que inclui capital da Sonangol e também de Isabel dos Santos. Uma vez que a empresária tem protagonizado um conflito com a petrolífera angolana, a distribuição dos valores entre os dois sócios ainda é incerta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Galp pagou 35,6 milhões de euros ao Estado em dividendos. Posição da Parpública vale quase 1.000 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião