Governo vai rever regime de benefícios em IRS para residentes não habituais

Mário Centeno revelou que o governo vai rever o regime fiscal para residentes não habituais nas próximas semanas. E garante que sustentabilidade Segurança Social está assegurada para um longo período.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, revelou que o regime fiscal para residentes não habituais está a ser revisto e que surgirão novidades sobre o mesmo nas próximas semanas. O governante deu a entender que este regime será redirecionado apenas para profissionais altamente qualificados de que a economia portuguesa carece.

Estamos a rever esse regime, no sentido de ser mais ativo na captação de qualificações que o país precisa para crescer. Achamos que se for de caráter temporário, se permitir a captação destes profissionais, é um regime que pode ser justificado numa fase em que se precisa de crescer nas novas tecnologias e novas profissões”, avançou em entrevista à TVI.

“É um regime que vai ser revisto dentro em breve. Daqui a umas semanas, em Conselho de Ministros, avançará uma proposta“, reforçou Mário Centeno.

Ainda no que toca ao mercado laboral, o ministro das Finanças referiu que o governo tem “acompanhado de forma ativa ao longo da legislatura” a questão da sustentabilidade da Segurança Social, e que a decisão de afetar parte das verbas do IRC “para o financiamento da Segurança Social” foi tomada precisamente em nome dessa estabilidade, sublinhando que “as estimativas que temos mostram que essa [sustentabilidade] se dará por um longo período de tempo”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo vai rever regime de benefícios em IRS para residentes não habituais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião