Multinacional chinesa vai contratar mais de 300 pessoas em Matosinhos

  • Ricardo Vieira
  • 5 Junho 2019

Recursos humanos altamente qualificados e a localização estratégica foram determinantes na escolha de Portugal para a instalação deste centro.

O Centro de Excelência da COFCO International, empresa chinesa de trading agroindustrial, está a contratar. O novo espaço de Matosinhos, onde já trabalham 80 pessoas, quase todos portugueses, deverá tornar-se local de trabalho para 165 até ao final do ano e mais de 400 até 2021. A empresa, que está a recrutar mais colaboradores, privilegia perfis na área financeira e de IT.

No novo espaço serão prestados serviços corporativos a nível global, sobretudo nas áreas de IT, financeira, operações, recursos humanos e procurement. Será também a partir daqui que serão trabalhadas as áreas de sustentabilidade global, branding, fiscalidade e compliance.

A escolha de Portugal para a implantação deste centro prende-se com “acesso a recursos humanos altamente qualificados, localização estratégica (proximidade à sede global em Genebra e boas ligações aéreas a vários mercados onde a COFCO opera) a utilização das línguas portuguesa, castelhana e inglesa, o apoio do Governo português, através da AICEP, e a abertura de Portugal a negócios internacionais”, explica a empresa em comunicado.

O protocolo para a criação deste centro foi assinado, em dezembro de 2018, pelo Presidente da China, Xi Jinping, e pelo primeiro-ministro de Portugal, António Costa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Multinacional chinesa vai contratar mais de 300 pessoas em Matosinhos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião