Raytheon e United Tech vão fundir-se. Vem aí um gigante da defesa

  • Lusa
  • 10 Junho 2019

Fusão que visa criar um dos maiores grupos mundiais nas indústrias aeronáutica e de defesa norte-americanas.

Os gigantes das indústrias aeronáutica e de defesa norte-americanas Raytheon e United Technologies anunciaram um acordo de fusão que visa criar um dos maiores grupos mundiais nestes setores.

A fusão por troca de ações deverá estar concluída no primeiro semestre de 2020, indicaram os dois grupos num comunicado comum, adiantando que a nova entidade se chamará Raytheon Technologies Corporation.

O novo conglomerado terá um volume de negócios combinado de 74 mil milhões de dólares (65 mil milhões de euros) em 2019.

“O casamento da United Technologies e da Raytheon vai definir o futuro do setor aeroespacial e da defesa”, assegurou Gregory Hayes, patrão da United Technologies, que irá liderar o novo grupo.

Tom Kennedy, patrão da Rayheon, será presidente do conselho de administração.

Uma vez concluída a fusão os acionistas da UTC controlarão 57% da nova empresa, enquanto os da Raytheon deterão os 43% restantes, precisou o comunicado.

Raytheon é o fabricante dos mísseis de defesa Patriot, celebrizados durante a primeira guerra do Golfo, e dos mísseis de cruzeiro Tomahawk, cujo lançamento durante a noite a partir de navios da Marinha norte-americana marcaram o início do segundo conflito na região.

A United Technologies fabrica os motores Pratt e Whitney, civis e militares, que equipam, nomeadamente, os aviões de combate F-35.

Paralelamente, a United Technologies vai completar, até ao primeiro semestre de 2020, a separação das suas atividades na área dos elevadores Otis e dos sistemas de refrigeração e climatização Carrier.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Raytheon e United Tech vão fundir-se. Vem aí um gigante da defesa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião