Portugal usa 3,6 milhões para tentar captar investidores receosos com o Brexit

Aicep tem várias ações promocionais para tentar captar investidores descontentes com o Brexit. Além de um evento anual na sede da Bloomberg em Londres, haverá quatro suplementos no Financial Times.

Portugal, puts itself on the tech map”. Este é o título do suplemento sobre Portugal que saiu na última revista fDi do Financial Times e que se insere no conjunto de iniciativas que a Aicep tem definidas para, no contexto do Brexit, para atrair investidores no Reino Unido. No total, a agência conta com um orçamento de 100 mil euros para estas ações promocionais, a que acrescem mais 3,5 milhões do Portugal 2020 para apoio a projetos coletivos de associações para o mercado do Reino Unido.

O Plano de Contingência que a Aicep elaborou, em janeiro deste ano — na sequência do anúncio de saída do Reino Unido da União Europeia — tem previstas várias ações, que passam por exemplo pela publicação no Financial Times de suplementos sobre Portugal. “Com o apoio de algumas agências regionais de captação de Investimento Direto Estrangeiro, haverá uma sequência de quatro números da Revista fDi com suplementos dedicados a Portugal“, disse ao ECO fonte oficial da entidade. “Já saíram os suplementos sobre Portugal, da responsabilidade da Aicep, e sobre o Porto, da responsabilidade da Invest Porto; e irão ainda sair durante o ano os suplementos sobre Braga, da responsabilidade da Invest Braga, e sobre a Madeira, da responsabilidade da Invest Madeira”, acrescentou a mesma fonte.

"Já saíram os suplementos sobre Portugal, da responsabilidade da Aicep, e sobre o Porto, da responsabilidade da Invest Porto; e irão ainda sair durante o ano os suplementos sobre Braga, da responsabilidade da Invest Braga, e sobre a Madeira, da responsabilidade da Invest Madeira.”

Fonte oficial da Aicep

Na revista de abril/maio com o título “Retoma do pós-crise transforma-se numa história de sucesso de alta tecnologia” é sublinhado como “Portugal testemunhou um boom de startups ao longo dos últimos sete anos” que estão a “suportar a recuperação económica bem sucedida e surpreendente”. Uma recuperação que faz de “Portugal uma das histórias de sucesso político e económico da Europa”, escreve o FT, lembrando que há dez anos o país teve de pedir 78 mil milhões de euros de ajuda financeira perante a incapacidade de pagar a sua dívida pública.

Para próximo está também o fórum económico anual, que vai já na segunda edição. O “Portugal-UKEconomicForum” vai realizar-se a 11 de julho, na sede da Bloomberg, em Londres, e exatamente no mesmo dia da edição do ano anterior, que contou com a presença do primeiro-ministro, do ministro da Economia e do secretário de Estado da Internacionalização.

E quanto custam estes eventos? O orçamento direcionado para as ações promocionais no âmbito do Brexit é de cerca de 100 mil euros”, disse, ao ECO, fonte oficial da AICEP. Mas, “muita da atividade corrente da agência tem tido foco no Brexit e não está contabilizada neste valor“, alerta. “A Campanha Brexit que a Aicep tem vindo a desenvolver corresponde a um esforço promocional que em termos quantitativos é superior ao maior valor de sempre para o Reino Unido: mais ações, mais investimento promocional”, acrescenta a mesma fonte.

Para estas contas é ainda preciso acrescentar mais 3,5 milhões de euros do Portugal 2020, o quadro comunitário em vigor, que a Aicep tem reservados para apoiar projetos de internacionalização só na componente de apoio a projetos coletivos de Associações para o mercado do Reino Unido. É mais um milhão de euros face a que estava guardado nesta “gaveta” o ano passado.

Portugal estreou-se ainda, no início de maio, na London Craft Week, um conjunto de eventos em Londres “para reposicionamento de produtos portugueses sofisticados e de artesanato”, explica fonte oficial da Aicep, que destaca ainda o evento na embaixada de Portugal em Londres “Once upon a Time…” que teve por base uma exposição de produtos da Vista Alegre e da empresa de mobiliário Boca do Lobo.

A embaixada vai também ser palco de outros eventos. Na quarta-feira da próxima semana, 12 de junho, vai decorrer o “Portugal Talks @ the Embassy” que está incluído no Plano Oficial de eventos da London Tech Week.

E na calha está também a organização de vários seminários multissetoriais, à semelhança dos que já foram realizados em Lisboa, Porto, Viana do Castelo, Loulé e Funchal. E também temáticos como o que decorreu em Leiria sobre o setor agroalimentar, no Porto sobre moda e calçado; em Aveiro, sobre automóvel; e em Lisboa dedicado à saúde. “Ao todo já foram envolvidas cerca de 300 empresas e Associações”, revela fonte oficial da Aicep.

As próximas sessões de capacitação Brexit estão agendadas para junho, em Vila Nova de Famalicão (setor têxtil), e, em setembro, em Santarém, Castelo Branco e Ponta Delgada. E, claro, no site da agência foi criada uma subpágina dedicada ao Brexit.

Comentários ({{ total }})

Portugal usa 3,6 milhões para tentar captar investidores receosos com o Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião