Governo promete acordo com a Altice sobre o SIRESP ainda hoje. Estado vai pagar “o valor justo”

  • ECO
  • 13 Junho 2019

O ministro da Economia diz que o acordo com a Altice para que o Estado passe a controlar o SIRESP deverá ser fechado esta quinta-feira.

Pedro Siza Vieira garantiu que o acordo com a Altice para a passagem do SIRESP para o controlo do Estado vai ser fechado esta quinta-feira, prometendo que o Governo pagará “o justo valor que resulta dos livros da empresa”.

Em entrevista à SIC Notícias, confrontado com o prazo de 13 de junho dado pelo primeiro-ministro para a celebração do acordo, Pedro Siza Vieira assumiu “ter indicadores” que apontam para que um acordo fique fechado ainda durante esta quinta-feira.

“Faz sentido que o Estado adquira o capital da empresa, que o sistema passe a ser um sistema de titularidade pública e isso estará muito brevemente resolvido”, reforçou o ministro Adjunto e da Economia.

Recusando revelar o preço que o Estado vai pagar por uma posição que lhe permita o controlo da maioria do capital, Pedro Siza Vieira referiu apenas que “o Estado vai pagar o justo valor que resulta dos livros da empresa” — e “não mais do que isso”, disse.

Como anunciou o Governo na semana passada, já estará fechado um “acordo de princípio” para a operação, cujo teor ainda não é conhecido.

A SIRESP S.A., que detém a infraestrutura na base da rede de comunicações de emergência do Estado, é detida atualmente em 52,1% por uma subsidiária da Altice Portugal, dona da operadora de telecomunicações Meo; 33% pela Parvalorem, empresa do Estado; e 14,9% pela Motorola.

O reforço da posição do Estado no capital da empresa foi uma necessidade assumida pelo Governo após as falhas registadas no sistema de comunicações no combate ao grande incêndio de Pedrógão Grande, em 2017.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo promete acordo com a Altice sobre o SIRESP ainda hoje. Estado vai pagar “o valor justo”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião