Lisboa cai no ranking do custo de vida, mas preço da gasolina é dos mais caros do mundo

A maioria das cidades mais caras do mundo situa-se no continente asiático, sendo Zurique a única representante europeia no top 10. Lisboa caiu dois lugares desde o ano passado.

Depois de uma subida de 44 lugares que colocou Lisboa entre as 100 cidades mais caras do mundo, a capital portuguesa cai este ano dois lugares no ranking que mede o custo de vida, passando da 93º posição para 95º.

As flutuações cambiais, o custo da inflação no que se refere a bens e serviços e a volatilidade dos preços de alojamento são alguns dos fatores avaliados no estudo anual “Custo de Vida” da Mercer. Em Lisboa, destaca-se o preço da gasolina, que é um dos mais elevados tendo em conta as restantes cidades.

Um litro de gasolina sem chumbo, de 95 octanas, custa em média 1,68 euros na capital portuguesa, um valor que fica acima, por exemplo, daqueles praticados em Londres, Nova Iorque, Singapura ou Zurique. Já as rendas acabam por ficar mais em conta do que noutras cidades. O preço de arrendamento de um apartamento T3 nas zonas nobres de Lisboa ronda os 3.150 euros e em Hong Kong os 12.910 euros.

É precisamente Hong Kong que encabeça a lista e aparece como cidade mais cara do mundo, título que retirou a Luanda no ano passado. A capital angolana tem vindo a cair no ranking e situa-se, agora, na 26º posição, depois de uma queda de 20 lugares. A cidade africana que surge como a mais cara passa a ser Djamena, no Chade.

Cidades asiáticas são as mais caras

O top 10 é completamente dominado por cidades asiáticas, sendo que apenas duas se situam noutros continentes. Isto deve-se, “em parte, a um forte mercado imobiliário”, aponta Tiago Borges, da Mercer Portugal, citado em comunicado. Depois de Hong Kong, é em Tóquio e Singapura que o custo de vida é mais elevado. Já a China tem três cidades entre as dez mais caras, Xangai, Pequim e Shenzhen.

Zurique, na Suíça, é a única cidade europeia entre as dez mais caras do mundo. “Apesar do aumento moderado de preços em grande parte das cidades europeias, as moedas europeias enfraqueceram face ao dólar, o que levou grande parte das cidades a baixar no ranking,” explica Tiago Borges.

“Além disso, outros fatores como a segurança e a preocupação com o cenário económico tiveram impacto na região”, aponta o líder de Rewards da consultora. É na Suíça que se continuam a situar-se as cidades europeias mais caras, sendo que a seguir a Zurique encontramos Berna e Genebra, em 12º e 13º lugar, respetivamente.

No espetro oposto, as cidades que se classificaram no fundo da lista que mede o custo de vida pelo mundo são maioritariamente africanas e asiáticas. Entre as 209 cidades avaliadas, as mais baratas do mundo são Tunes, na Tunísia (209º lugar), Tachkent, no Uzbequistão e Carachi, no Paquistão.

As dez cidades mais caras do mundo

  1. Hong Kong – Hong Kong
  2. Tóquio – Japão
  3. Singapura – Singapura
  4. Seul – Coreia do Sul
  5. Zurique – Suíça
  6. Xangai – China
  7. Asgabade – Turcomenistão
  8. Pequim – China
  9. Nova Iorque – Estados Unidos da América
  10. Shenzhen – China

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa cai no ranking do custo de vida, mas preço da gasolina é dos mais caros do mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião