CMVM está atenta à transferência de João Félix

  • ECO
  • 27 Junho 2019

O Benfica poderá ter de prestar mais esclarecimentos financeiros ao mercado sobre a transferência de João Félix. A CMVM está atenta ao negócio.

Tal como o Fisco, também a CMVM está a apertar a malha aos negócios no futebol — mais concretamente ao negócio entre o Atlético de Madrid e o Benfica para a transferência do jovem jogador João Félix. De acordo com o Correio da Manhã (acesso condicionado), a “polícia” da bolsa está “a acompanhar de perto a evolução” deste dossiê. E o Benfica, para além de ter comunicado a operação esta quarta-feira, vai ter de prestar mais esclarecimentos à entidade liderada por Gabriela Figueiredo Dias.

Em causa está a complexidade da operação, uma vez que o Atlético de Madrid vai pagar 126 milhões por João Félix, a prestações, mas o Benfica só recebe 120 milhões, e a pronto. De acordo com o matutino, os espanhóis vão recorrer a um crédito bancário de 70 milhões de euros e a outra tranche em cash para pagar ao Benfica, sendo que os seis milhões acima do valor da cláusula de rescisão no contrato de João Félix incluem 1,2 milhões que serão transferidos para o FC Porto, como recompensa pela formação do jogador, ao abrigo do mecanismo de solidariedade.

Esta quarta-feira, o Benfica comunicou à CMVM que “o Club Atlético de Madrid, SAD apresentou uma proposta para a aquisição a título definitivo dos direitos desportivos do jogador João Félix Sequeira por um montante de € 126.000.000 (cento e vinte seis milhões de euros), a qual se encontra a ser analisada”. O montante inclui “o custo financeiro indexado ao pagamento a prestações previsto nesta proposta”, fazendo com que o “o valor líquido a receber do Atlético de Madrid na data da transferência dos direitos desportivos” seja de 120 milhões de euros, lê-se no comunicado.

O futebol passa, assim, a estar na mira das autoridades portuguesas. Isto depois de, no final da semana passada, o Jornal Económico ter revelado que a Autoridade Tributária e Aduaneira vai reforçar a inspeção aos negócios de futebol, entre outros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CMVM está atenta à transferência de João Félix

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião