Corrupção: Ex-procuradora Joana Marques Vidal diz que o “Estado está capturado”

  • ECO
  • 28 Junho 2019

Joana Marque Vidal destaca “redes de corrupção e de compadrio nas áreas da contratação pública” que se disseminam entre vários organismos de ministérios e autarquias.

A ex-procuradora-geral da República considera que é inegável a existência em Portugal de redes que “capturam o Estado” e mantêm-se ativas na prática de atos ilícitos. “Há efetivamente algumas redes que capturaram o Estado e que utilizam o aparelho do Estado para a prática de atos ilícitos e, felizmente, algumas estão a ser combatidas, mas outras continuam a fazer isso e há até outras que começam”, diz Joana Marques Vidal, em entrevista à Renascença (acesso livre).

Há efetivamente algumas redes que capturaram o Estado e que utilizam o aparelho do Estado para a prática de atos ilícitos.

Joana Marques Vidal

Ex-procurada geral da República

“Se pensarmos um pouco naquilo que são as redes de corrupção e de compadrio, nas áreas da contratação pública, que se espalham às vezes por vários organismos de vários ministérios, autarquias e serviços diretos ou indiretos do Estado, infelizmente estamos sempre a verificar isso”, defende.

Esta quarta-feira a ex-procuradora congratulou-se com o facto de as propostas parlamentares de alteração do Estatuto do Ministério Público não terem sido aprovadas, porque, caso contrário o PGR seria transformado, finalmente, na “Rainha de Inglaterra”. Uma referência irónica à imagem utilizada por Pinto Monteiro (seu antecessor) para justificar a alegada falta de poderes do PGR.

Ainda assim, a antecessora de Lucília Gago recusa uma visão catastrófica do fenómeno da corrupção em Portugal. “Não tenho, de maneira nenhuma, uma ideia catastrófica de que toda a gente é corrupta e que todas as autarquias são corruptas e que todos os políticos são corruptos. Não tenho nada essa ideia. Sou, aliás, uma defensora de que os partidos são um elemento essencial da democracia. Poderemos depois discutir se deviam estar mais abertos ou menos abertos, autorregenerem-se, não serem tão complacentes com certos tipos de atividades, mas isso é outro tipo de discussão”.

Esta semana, foi conhecido o relatório de 2018 do Conselho da Europa no qual Portugal é colocado entre os países que menos implementaram recomendações contra a corrupção vindas de Estrasburgo. Sendo que os juízes e deputados são aqueles que têm mais medidas em falta.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Corrupção: Ex-procuradora Joana Marques Vidal diz que o “Estado está capturado”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião