PS acusa PSD de ter programa para abrir “buraco negro” de 7,2 mil milhões de euros

  • Lusa
  • 2 Julho 2019

O deputado João Paulo Correia reagiu ao cenário macro que o PSD apresentou. Rio anunciou que se vencer as eleições corta 3,7 mil milhões em impostos e aumenta 3,6 mil milhões em investimento público.

O PS acusou estar terça-feira o presidente do PSD, Rui Rio, de pretender abrir “um buraco negro” na ordem dos 7,2 mil milhões de euros nas contas públicas nacionais nos próximos anos e exigiu “explicações urgentes” dos sociais-democratas.

Esta posição foi transmitida pelo vice-presidente da bancada socialista João Paulo Correia, momentos depois de o líder social-democrata ter apresentado em conferência de imprensa o cenário macroeconómico que serve de base ao programa eleitoral do PSD.

O PSD promete abdicar de 3,7 mil milhões de euros de receita de impostos na próxima legislatura e, ao mesmo tempo, promete aumentar a despesa de investimento em 3,5 mil milhões de euros. Ou seja, o PSD promete abdicar de 7,2 mil milhões de euros no Orçamento do Estado”, apontou João Paulo Correia.

O vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS considerou que, até ao momento, o PSD “não explicou como atinge esses objetivos”.

“Pela voz do presidente do PSD, está aberto um buraco negro em matéria de contas públicas para a próxima legislatura. O PS considera que o PSD tem de esclarecer isto com urgência. Desafiamos o PSD a tentar explicar como é que, na próxima legislatura, tem condições para reduzir a receita de impostos em 3,7 mil milhões de euros, ao mesmo tempo que aumenta a despesa de investimento em 3,5 mil milhões de euros”, insistiu João Paulo Correia.

João Paulo Correia sustentou depois que se está perante “números impressionantes” em termos de um eventual desequilíbrio das contas públicas.

“Sabemos que estamos na altura pré-eleitoral, que é tentador fazerem-se promessas que espantem os olhos e encham os ouvidos dos eleitores, mas tem de haver aqui algum realismo. Na verdade, o PSD tem apresentado um enorme passivo em matéria de previsões, falhando em todas as suas previsões ao longo dos últimos oito anos, quer quando esteve no Governo, quer agora na oposição”, acrescentou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PS acusa PSD de ter programa para abrir “buraco negro” de 7,2 mil milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião