PSD mostra cenário macro e deixa medidas para mais tarde

Rui Rio apresenta previsões económicas e orçamentais para a próxima legislatura. PSD avança com os números e deixa os porquês para depois.

O líder do PSD apresenta esta terça-feira o cenário macroeconómico para os próximos anos, mas deve deixar a revelação das medidas que estão na sua base para mais tarde. A três meses das legislativas, os partidos aceleram a divulgação das suas ideias. Rui Rio começa pelos números.

A apresentação do “quadro económico subjacente ao programa eleitoral para as legislativas de 2019” será feita pelas 17 horas na sede do PSD, em Lisboa. No encontro vão estar presentes o presidente do partido Rui Rio e os responsáveis do Conselho Estratégico Nacional, o coordenador para a área das finanças públicas, Álvaro Almeida, e o porta-voz, Joaquim Miranda Sarmento.

Os sociais-democratas partiram de um cenário macroeconómico base em políticas invariantes, ou seja, que projetasse o que acontece à economia e ao Orçamento sem novas medidas.

Depois consideraram as medidas de política que querem incluir no programa eleitoral e viu o que acontece à economia e ao Orçamento em resultado dessas decisões de política.

Este exercício gera um cenário macroeconómico alternativo que decorre da política que o PSD quer implementar se vencer as eleições legislativas marcadas para 6 de outubro.

Segundo apurou o ECO, a comunicação pública das ideias do partido será feita começando pelos números e só depois passará às medidas. Na apresentação desta terça-feira “em princípio” não haverá lugar à divulgação de medidas, sabe o ECO. Para este mês de julho está prevista a divulgação das propostas por áreas setoriais. O objetivo do partido é que os eleitores possam levar o programa eleitoral para férias.

A apresentação agendada para esta terça-feira surge numa altura em que PS e CDS já começaram com a divulgação de medidas para incluir no programa eleitoral.

Em 2015, quando aconteceram as últimas eleições legislativas, o PS estreou uma novidade na comunicação política de programas eleitorais. Entregou a um grupo de economistas, liderado por Mário Centeno, a construção de um cenário macroeconómico que mostrasse o efeito na economia e no Orçamento das políticas que os socialistas queriam aprovar se vencessem as eleições.

Quando apresentou o cenário macro, os economistas avançaram na mesma altura com um conjunto de medidas que teria ainda de ser validado pelo partido e que explicava os números do cenário macroeconómico. Entre elas estavam a descida, gradual, da Taxa Social Única (TSU) dos trabalhadores e das empresas, a eliminação da sobretaxa do IRS, a devolução dos salários aos funcionários do Estado e a reposição do IVA sobre a restauração nos 13%.

Agora, o Governo liderado pelo PS decidiu apresentar em Bruxelas, em abril último, um Programa de Estabilidade onde prevê um crescimento de 1,9% este ano que só ultrapassa os 2% no final da legislatura. Apesar de ter revisto em baixa os excedentes orçamentais só 2019 será um ano de défice. Este cenário não leva em conta qualquer medida nova de política.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PSD mostra cenário macro e deixa medidas para mais tarde

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião