“Confiança”. A palavra que Costa disse a cada dois minutos no Estado da Nação

A palavra "confiança" foi repetida 14 vezes pelo primeiro-ministro no debate inicial do Estado da Nação. Veja a nuvem de palavras do discurso.

Confiança, confiança, confiança. Esta foi uma das palavras mais repetidas pelo primeiro-ministro na abertura do debate do Estado da Nação, que se realiza esta quarta-feira, na Assembleia da República. Ao todo, ouviu-se 14 vezes a palavra “confiança” vinda da boca de António Costa, contabilizou o ECO, com base na versão escrita do discurso.

Costa tinha 40 minutos para falar, mas só usou 25. Ou seja, em média, o primeiro-ministro puxou da “confiança” a cada dois minutos. Numa das ocasiões, disse que “a previsibilidade nas políticas foi, durante os últimos quatro anos, um dos fatores centrais de confiança”. Minutos depois, afirmava que a legislatura possibilitou “a recuperação da confiança” do país. Mais tarde, rematou: “A confiança no futuro da economia é o melhor antídoto contra a precariedade”.

Nuvem de palavras do discurso de António Costa

As palavras mais usadas por António Costa, excluindo termos comuns, como “de” e “as”.

Apesar de “confiança” ser a palavra mais comum entre as 2.382 que o chefe do Governo proferiu, nem só de “confiança” se fez este discurso. “Emprego” apareceu uma dezena de vezes no arranque do Estado da Nação, assim como “crescimento” ou “investimento” — o que não surpreende, tendo em conta que o crescimento económico e o investimento público são dois dos temas políticos mais quentes com presença marcada na edição deste ano.

António Costa considerou que este é debate é o “balanço da legislatura” e defendeu que “a maioria provou ser estável ao longo da legislatura”, cumprindo “integralmente” os compromissos assumidos.

Leia aqui as 26 páginas do discurso de Costa

Comentários ({{ total }})

“Confiança”. A palavra que Costa disse a cada dois minutos no Estado da Nação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião