Famílias com bebés em Lisboa vão ter estacionamento reservado à porta

Revisão do regulamento da EMEL dá direito a lugar reservado para as famílias numerosas em que um dos filhos seja criança de colo. As demais vão poder ter o primeiro dístico de estacionamento grátis.

As famílias numerosas residentes em Lisboa, que tenham pelo menos três filhos e o mais novo seja um bebé com até 24 meses, vão ter direito a um lugar reservado para estacionamento à porta de casa. Para as restantes famílias, a Câmara Municipal vai oferecer o primeiro dístico de estacionamento, que passa a ser gratuito. Promessas feitas pelo vereador da mobilidade, Miguel Gaspar, que fazem parte de uma proposta de revisão do regulamento da EMEL, apresentada esta segunda-feira.

“O objetivo destas medidas é melhorar o estacionamento na via pública, dando prioridade aos residentes”, rematou Miguel Gaspar. “A nossa ambição é que exista um lugar disponível em cada quarteirão para estacionar, porque isso reduz a poluição que se gera à procura de estacionamento e reduz o congestionamento”, indicou também o autarca, reconhecendo que “o número de carros que circulam à procura de lugar é demasiado elevado”.

A Câmara Municipal de Lisboa pretende ainda beneficiar os residentes que não têm carro. Desta forma, prevê avançar com uma medida para que os residentes que usem serviços de carros partilhados também possam “estacionar junto de casa”. “Deixa de haver uma discriminação negativa para as pessoas que usam menos o carro em Lisboa”, apontou Miguel Gaspar.

A autarquia da capital prepara-se ainda para instituir duas novas zonas de estacionamento: zona castanha e zona preta, que se localizam nas regiões de “maior pressão de estacionamento”, nomeadamente nas “zonas do eixo central”. Por outras palavras, estacionar nestes locais vai ficar mais caro. Nas zonas castanhas vai custar dois euros por hora, enquanto deixar o carro numa zona preta custará três euros por hora, até um máximo de duas horas.

Por fim, o Executivo pretende “aumentar o horário” de operacionalidade da EMEL. A ideia é levantar a restrição que indica que a autoridade que gere o estacionamento na capital só pode operar 16 horas. “Essa restrição desaparece”, apontou o vereador.

Questionado sobre quando é que estas medidas vão entrar em vigor se tudo correr como o planeado, o vereador da mobilidade apontou que as primeiras medidas poderão chegar ao terreno em outubro ou novembro. Outras ficarão disponíveis na primeira metade do próximo ano.

Dados avançados na conferência de imprensa apontam para que existam perto de 89.000 lugares ordenados na via pública para estacionar em Lisboa, número que compara com os cerca de 52.000 que se verificavam em 2015.

EMEL passa a fiscalizar trotinetas

Era uma intenção conhecida, mas ficou esta segunda-feira confirmado que vai mesmo avançar: a EMEL vai juntar-se à polícia municipal como autoridade de fiscalização de estacionamento de trotinetas, confirmou Miguel Gaspar. A medida visa evitar o estacionamento de trotinetas em cima do passeio ou noutros locais indevidos.

O vereador revelou que a autarquia já assinou um contrato com todos os operadores de trotinetas elétricas partilhadas, representando um compromisso entre todos para garantir “passeios seguros que não sejam usados de forma abusiva” por aqueles veículos. Atualmente, existem entre 6.000 e 7.000 trotinetas elétricas nas ruas da capital e cerca de 1.200 pontos específicos em que as trotinetas podem ser estacionadas.

No entanto, ainda são muitas as trotinetas que são deixadas pelos utilizadores em sítios ilegais. E a polícia já recolheu 2.200, segundo dados avançados na mesma conferência de imprensa. Instado a fazer um balanço da situação, Miguel Gaspar mostrou-se dividido: por um lado, “satisfeito” com as melhorias que diz terem sido alcançadas nos últimos meses; por outro, “insatisfeito”, por reconhecer que o estacionamento das trotinetas tem “de melhorar”.

Para coagir os utilizadores a não deixarem as trotinetas em locais ilegais, a Câmara Municipal prepara-se também para cobrar, por cima da coima que já aplica, uma taxa de recolha das trotinetas.

(Notícia atualizada pela última vez às 12h59 para clarificar que só as famílias numerosas vão ter direito a lugar reservado para estacionamento)

Comentários ({{ total }})

Famílias com bebés em Lisboa vão ter estacionamento reservado à porta

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião