THU leva jovens talentos nacionais a Malta

Trojan Horse Was a Unicorn vai levar jovens talentos nacionais a Malta, para participarem no festival gratuitamente. Iniciativa foi feita em parceria com o Ministério da Cultura e a Universidade Nova.

Chama-se THU Talent League e é uma “bolsa” de talento do Trojan Horse Was a Unicorn (THU). O festival criou uma liga para levar jovens talentos portugueses a Malta, local onde se realiza o evento. A ideia é que o projeto possa escalar para levar participantes de outras partes do mundo ao evento mas, por agora, as participações são fechadas a concorrentes nacionais.

A ideia, fruto de uma parceria entre a organização do evento, o Ministério da Cultura e a Universidade Nova, é que estudantes nas áreas das indústrias criativas e que tenham entre 18 e 25 anos e interesse em entretenimento digital possam participar num concurso de construção de histórias para o mundo digital e ganhar a possibilidade de participarem gratuitamente no evento internacional, com direito a voos, alojamento e entrada no evento.

Os concorrentes ao desafio terão de apresentar os seus projetos, dentro do tema “A história atrás do artista”, até 5 de agosto. Os trabalhos serão avaliados por Marc Simonetti, ilustrador dos livros de “A Guerra dos Tronos”, e Shuzo Shiota, presidente executivo da Polygon Pictures.

O evento Trojan Horse Was a Unicorn realiza-se em Malta entre os dias 23 e 28 de setembro. O bilhete mais económico para o THU custa 450 euros.

O projeto começou em Portugal em 2013 e, quatro anos depois, mudou-se para Malta. Este ano, com o acordo com o Ministério da Cultura, a organização liderada pelo português André Lourenço reforça, com um primeiro passo, a ligação do festival a Portugal.

A indústria em que o THU se move, na área do entretenimento digital, vale atualmente 1,9 biliões de dólares a nível mundial.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

THU leva jovens talentos nacionais a Malta

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião