BCP afunda mais de 4% após resultados. Bolsa de Lisboa em queda

Apesar da subida de 12% no lucro do semestre, as ações afundam. Miguel Maya, CEO do BCP, alertou que os últimos três meses do ano serão “desafiantes”.

O BCP está em forte queda na bolsa de Lisboa, apesar da subida nos lucros. Na primeira sessão após ter apresentado contas ao mercado, o banco liderado por Miguel Maya lidera as quedas no PSI-20. Segue a desvalorizar 2,5% para 0,244 euros, tendo chegado logo na abertura a afundar 4,28%.

Os lucros atingiram os 170 milhões de euros no primeiro semestre do ano, um resultado que ficou em linha com as estimativas do mercado. Os analistas do BPI/CaixaBank previam lucros de 169 milhões de euros.

O BCP justificou a subida de 12% do resultado face ao ano passado com a “expansão dos proveitos core e com a redução das imparidades e provisões”. Mas Portugal também puxou por resultados da instituição. Apesar da subida do lucro, Miguel Maya referiu que os últimos três meses do ano serão “desafiantes” fruto da política monetária do Banco Central Europeu (BCE).

Os investidores parecem estar a focar-se igualmente nos desafios, levando o BCP a destacar-se negativamente num índice que abriu a cair 0,65% para 5.101,60 pontos.

Além do banco, também os CTT registam uma forte queda esta terça-feira. A operadora postal, que vai ser obrigada pela Anacom a cortar preços devido ao incumprimento de dois indicadores de qualidade do serviço, desvaloriza 1,8% para 1,96 euros por ação, negociando pela primeira vez abaixo dos 2 euros.

No retalho, o sentimento também é negativo com a Sonae a perder 0,76% e a Jerónimo Martins a deslizar 0,26%. Na energia, a tendência é mista. A EDP recua 0,47% e a EDP Renováveis desvaloriza 0,53%, enquanto a Galp Energia está a travar as perdas do índice.

A petrolífera, que apresentou também lucros esta segunda-feira, avança 1,59% para 14,37 euros, a corrigir das perdas da última sessão e num dia de ganhos para o mercado petrolífero. O brent londrino segue a valorizar 0,69% para 64,15 dólares por barril, enquanto o crude WTI segue em Nova Iorque a subir 0,70% para 57,27 dólares.

Ainda assim não chega para animar a bolsa de Lisboa, que está a ser igualmente penalizada pelas pares europeias. O índice pan-europeu Stoxx 600, o francês CAC 40 e o espanhol IBEX 35 abriram a perder 0,1%, enquanto o alemão DAX recua 0,2%. Penalizado pela possibilidade de um Brexit sem acordo, o britânico FTSE 100 desvaloriza 0,5%.

(Notícia atualizada às 08h25)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCP afunda mais de 4% após resultados. Bolsa de Lisboa em queda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião