Rendas vão aumentar cerca de 0,6% no próximo ano

  • ECO
  • 5 Agosto 2019

As rendas deverão aumentar entre 0,5% e 0,6% no próximo ano, um valor que corresponde a cerca de metade do aumento verificado este ano.

As rendas das casas vão continuar a subir no próximo ano, mas cerca de metade do que aquilo que subiram este ano. A partir de janeiro, arrendar uma casa ficará menos de 1% mais caro, uma consequência dos baixos valores da inflação que se têm verificado, avança o Jornal de Negócios (acesso pago). O valor definitivo será conhecido apenas em setembro e publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Usando como base os dados da inflação publicados na semana passada pelo INE — que mostram que a inflação homóloga média foi de -0,3% — o Negócios diz que os preços do arrendamento deverão aumentar entre 0,5% e 0,6% no próximo ano. O valor que serve de referência para o aumento a aplicar em 2020 aos contratos de arrendamento não se afastará muito dos 0,63% registados em julho.

Em causa está a variação dos últimos doze meses do índice de preços do consumidor, sem habitação, cujo valor de agosto serve para determinar o coeficiente de atualização anual das rendas.

“Atendendo à queda da inflação em julho, é provável que a inflação verificada em agosto venha a ser mais baixa do que a registada no mesmo mês do ano passado. Isso vai baixar a média dos últimos 12 meses”, explica Rui Serra, economista-chefe do Montepio, ao Negócios. Isto implica que “a inflação média sem habitação deverá variar entre 0,6% e 0,5%,” rematou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rendas vão aumentar cerca de 0,6% no próximo ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião