China suspende compra de produtos agrícolas dos Estados Unidos

  • Lusa
  • 6 Agosto 2019

Em respostas às novas tarifas aduaneiras anunciadas pelos EUA para os bens chineses, Pequim diz que irá suspender a compra de produtos agrícolas norte-americanos.

A China anunciou esta terça-feira a suspensão da compra de produtos agrícolas dos Estados Unidos em resposta ao recente anúncio de Washington de que aumentará as taxas alfandegárias sobre 300 mil milhões de dólares de bens importados do país asiático.

Em comunicado, o ministério chinês do Comércio considerou o aumento anunciado pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, e que entra em vigor a partir de 01 de setembro, como “uma séria violação do encontro entre os chefes de Estado da China e dos Estados Unidos”.

“Foi acordado que a Comissão de Taxas Alfandegárias do Conselho de Estado não descarta taxar a importação sobre os produtos agrícolas norte-americanos adquiridos depois de 03 de agosto, e as empresas chinesas relacionadas suspenderam a compra de produtos agrícolas dos EUA”, indica o texto.

O ministério do Comércio apontou o “enorme mercado” do país asiático e diz que há “grandes perspetivas para a importação de produtos agrícolas americanos de alta qualidade”. No entanto, enfatizou que essas “perspetivas” dependem que Washington “cumpra com o consenso alcançado na reunião entre os chefes de Estado da China e dos EUA”.

Os dois Governos impuseram já taxas alfandegárias sobre milhares de dólares às importações de ambos. Na segunda-feira, a moeda chinesa, o yuan, caiu abaixo da barreira dos sete yuan por um dólar, o valor mais baixo em mais de dez anos, o que levou Washington a classificar a China de “manipulador cambial”.

Transportadora aérea estatal chinesa cancela voo Pequim–Havai

A companhia aérea estatal chinesa Air China anunciou que vai deixar de fazer a ligação Pequim–Havai, a partir deste mês, devido ao “mapa de rotas, organização da capacidade e outros motivos”. A decisão surge numa altura de crescentes tensões comerciais entre a China e os Estados Unidos.

Em comunicado, a companhia aérea afirma que vai reembolsar o custo total do bilhete para os passageiros que reservaram voos a partir da data de cancelamento daquela ligação, prevista para 27 de agosto.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

China suspende compra de produtos agrícolas dos Estados Unidos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião