Depois dos carros, esgotaram “cheques” para as bicicletas elétricas

Demorou apenas um mês a esgotarem os incentivos para a compra de automóveis elétricos. Para as bicicletas foi preciso um pouco mais, mas também já não há, sobrando apenas o apoio para as motas.

Depois dos automóveis, esgotaram também os “cheques” do Estado para a apoiar a compra de bicicletas elétricas, menos de seis meses depois de terem aberto as candidaturas. Já foram feitos mais de 1.000 pedidos deste incentivo de 250 euros destinado a velocípedes citadinos.

De acordo com dados do Fundo Ambiental, e depois de um arranque algo lento comparativamente ao dos pedidos de “cheques” para os carros elétricos, as candidaturas para o Incentivo pela Introdução no Consumo de Veículos de Baixas Emissões de bicicletas aceleraram nas últimas semanas, contando, atualmente, com um total de 1.034 pedidos.

Foi atingindo o patamar dos mil, mas ainda só foram entregues pelo Estado 718 destes “cheques”, estando muitos dos que faltam por validar. Alguns desses pedidos acabaram, no entanto, chumbados, razão pela qual mesmo quem faça agora a candidatura pode vir a ser elegível para o receber.

Este incentivo para bicicletas, a novidade do programa deste ano, destina-se “apenas as bicicletas de utilização urbana e citadina, que são aquelas que se destinam, normalmente, a viagens mais frequentes”, explicou, à data do lançamento, José Gomes Mendes, secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade. Candidaturas chumbadas terão sido negadas por incumprimento desse critério.

Mesmo alcançado o teto de pedidos validados, podem ser entregues mais destes “cheques”, mas tudo depende da evolução das candidaturas para os diferentes tipos de veículos. Além das bicicletas, há também apoios para motas, assim como para automóveis, que já existem há alguns anos.

“Na data de fim de candidaturas (30 de novembro), caso não tenham sido atingidos os limites de todas as tipologias e haja lista de espera em alguma das tipologias, o valor não aplicado nas tipologias não esgotadas será distribuído pelas candidaturas em lista de espera, até esgotamento do valor total disponível“, diz o Fundo Ambiental.

No caso das bicicletas não irá sobrar verba, nem nos automóveis, onde os pedidos chegam já aos 1.500, contra o “limite” de 1.000 apoios — tendo já sido atribuídos 982, num valor global de 2,4 milhões de euros. Só no caso das motas é que os pedidos estão bastante aquém do limite de 250 incentivos, estando registadas 81 candidaturas. No entanto, em termos financeiros a dotação para as motas é de apenas 100 mil euros.

Tanto no caso dos automóveis como das bicicletas o número total de apoios concedidos deverá superar a meta, algo que já aconteceu, por exemplo, no ano passado com os automóveis elétricos. Em 2018 foram entregues, no final, 1.170 destes apoios, sendo que no ano passado o valor de cada cheque era de 2.250 euros. Este ano é de 3.000 euros, mas baixa para 2.250 euros caso o candidato seja uma empresa.

Comentários ({{ total }})

Depois dos carros, esgotaram “cheques” para as bicicletas elétricas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião