Regresso às aulas. Cinco dicas da Direção-Geral do Consumidor para uma melhor gestão do seu orçamento

Com cadernos, livros e mochila para comprar e, às vezes, algum calçado ou equipamentos eletrónicos, nem sempre fácil gerir os gasto no regresso às aulas. Saiba como gerir melhor o seu orçamento.

O ano letivo 2019/2020 está prestes a começar. O calendário escolar deste ano, como consta em Diário da República, tem início entre 10 e 13 de setembro e, nesta época, é normal que muitas famílias já tenham começado a fazer as compras para o regresso às aulas. Contudo, nem sempre é fácil gerir o orçamento com tantos cadernos, livros ou calçado de desporto na lista de compras.

Para uma melhor gestão dos orçamentos das famílias portuguesas, a Direção-Geral do Consumidor decidiu partilhar algumas dicas. A mais importante, antes de tudo, é: “Não compre por impulso”, lê-se na brochura publicada no site.

Conheças as sugestões que podem ajudá-lo a começar o ano letivo com a carteira mais “robusta”:

1 – Reutilize o mais possível

A primeira tarefa que a Direção-Geral do Consumidor é para ser feita antes de qualquer compra. “Verifique se existe material do ano letivo anterior em bom estado que possa ser aproveitado e/ou reutilizado”, lê-se no documento. Quanto mais material conseguir aproveitar, mais encurtará a lista de compras e, por sua vez, os gastos.

2 – Faça uma lista de compras

Depois de saber o que consegue aproveitar e o que precisa mesmo de comprar, escreva uma lista do material escolar que as crianças necessitam e aproveite para colocar, também, nessa mesma lista “vestuário e calçado”, aconselha a Direção-Geral do Consumidor. Uma dica ainda neste passo é que envolva as crianças na elaboração da lista de compras.

3 – Compare preços, planeie compras

Com a lista feita, não parta logo para as lojas. Antes disso, “planeie as suas compras, compare preços e não se precipite”. E, se optar por levar as crianças às compras, o melhor é explicar-lhes “previamente o que podem comprar”.

4 – Priorize qualidade e durabilidade

Lista feita e compras planeadas, é hora de visitar os supermercados e papelarias. No que toca ao material escolar, o conselho é que dê prioridade à qualidade e durabilidade dos produtos. Escolha, por exemplo, “dossiês e cadernos mais resistentes para que durem todo o ano escolar”. E, sem esquecer o consumo ambientalmente responsável, a Direção-Geral do Consumidor aconselha-o a optar por “cadernos, agendas e pastas em materiais reciclados, lápis produzidos em madeiras certificadas de reflorestamentos e canetas produzidas com materiais biodegradáveis”.

5 – Guarde fatura de compra

Se for aproveitar esta época para comprar, também, algum equipamento elétrico, guarde sempre a fatura para efeitos de garantia. Além disso, saiba que, salvo nas situações de mau uso, “quando o produto apresente defeitos dentro do prazo de garantia, deverá contactar o vendedor para que este proceda à reposição da conformidade”. Por outro lado, em caso de arrependimento de uma compra efetuada pela internet, “dispõe de 14 dias para resolver o contrato sem qualquer encargo ou apresentação de justificação”.

Comentários ({{ total }})

Regresso às aulas. Cinco dicas da Direção-Geral do Consumidor para uma melhor gestão do seu orçamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião