Lisboa contraria Europa e recua. EDP Renováveis sobe mais de 2% e evita maiores perdas

Ainda que a EDP Renováveis e a Mota Engil tenha subido mais de 2%, a praça lisboeta terminou a sessão no vermelho. A pressionar estiveram a Nos e a Jerónimo Martins.

Pressionada pela Jerónimo Martins e pela Nos, a praça lisboeta terminou a última sessão da semana em terreno negativo. A evitar maiores perdas estiveram a EDP Renováveis e a Mota Engil, que valorizaram mais de 2%. Das 18 cotadas nacionais, nove ficaram no vermelho.

O índice de referência nacional recuou 0,04% para 4.968,51 pontos. O PSI-20 contrariou, deste modo, a tendência registada nas demais praças europeias, com o STOXX 600 a somar 0,25% (fechando a terceira semana consecutiva de ganhos), o alemão DAX a subir 0,46% e o francês CAC 40 a subir 0,13%.

Por cá, os títulos da Nos desvalorizaram 0,29% para 5,16 euros e os da Jerónimo Martins perderam 0,25% para 15,865 euros, pressionando a praça nacional.

Na energia, a EDP viu as suas ações recuarem 0,06% para 3,545 euros, enquanto as da EDP Renováveis somaram 2,40% para 10,26 euros, protagonizando os maiores ganhos do dia.

A puxar pela bolsa lisboeta estiveram ainda os títulos da Mota Engil, que subiram 2,37% para 1,945 euros. As ações dos CTT também ficaram no verde, tendo subido 0,7% para 2,006 euros. E os títulos do BCP valorizaram 0,61% para 0,1982 euros.

Comentários ({{ total }})

Lisboa contraria Europa e recua. EDP Renováveis sobe mais de 2% e evita maiores perdas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião