“Octopus” está à venda por 295 milhões. 7 números de encher o olho deste mega-iate

O "Octopus", um dos maiores iates do mundo, está à venda por 295 milhões de euros. Veja os números que distinguem a embarcação do co-fundador da Microsoft de todas as outras.

O “polvo” que pertenceu a Paul Allen, co-fundador da Microsoft, está no mercado. O mega-iate, que navega desde 2003, está à venda por 295 milhões de euros. O barco atravessou mares de Veneza a Xangai, e recebeu festas com atuações de Mick Jagger e a banda de rock, U2.

O “Octopus”, que foi construído na Alemanha, é capaz de realizar viagens com propósitos científicos, uma vez que consegue navegar em lugares remotos.

Mas quem o vai comprar, não o fará com esse propósito. Afinal, este é um iate de luxo, com comodidades para agradar até ao mais excêntrico dos donos. Não acredita? O iate tem sala de cinema, estúdio de gravação, uma piscina, um campo de basquetebol e dois heliportos com garagem. Há até um submarino.

“Quando estive pela primeira vez na ponte, senti-me como se estivesse numa nave espacial” escreveu Paul Allen na sua autobiografia “Idea Man“, publicada em 2011.

Quantas pessoas acomoda o iate? Quantas pessoas podem fazer parte da tripulação? Nesta galeria tem sete números curiosos sobre o “Octopus”.

Depois de ter saído da empresa tecnológica, em 1983, Allen vendeu a sua parte por 26 mil milhões de dólares, segundo o índice de multimilionários da Bloomberg. A criação da empresa familiar Vulcan Inc. rendeu ao empresário uma fortuna. Em 2018, ocupava a 44ª posição na lista de multimilionários da Forbes. Em outubro do mesmo ano, acabou por falecer.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Octopus” está à venda por 295 milhões. 7 números de encher o olho deste mega-iate

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião