EUA e China na corrida ao novo terminal do Porto de Sines

  • ECO
  • 21 Setembro 2019

Concurso público internacional será lançado ainda este mês. Ministra do Mar confirmou ao Público que há interesse de operadores dos dois países.

Operadores dos EUA e da China já mostraram interesse na concessão do novo terminal de contentores em Sines, segundo noticia este sábado o Público (acesso condicionado). O concurso público internacional vai ser lançado ainda este mês e deverá envolver um investimento de 642 milhões de euros.

Depois da China, os Estados Unidos entraram na corrida. A ata da última reunião da Comissão Bilateral Permanente Estados Unidos – Portugal aponta para a natureza estratégica do Porto de Sines “como destinatário de gás natural liquefeito dos EUA (GNL)”. Acrescenta que “há interesse dos EUA em ver o investimento norte-americano no planeado terminal de contentores Vasco da Gama“.

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, confirmou ao Público o interesse demonstrado por investidores de ambas as geografias e afirmou que “a proposta vencedora será aquela que melhores benefícios ofereça a Portugal, independentemente da origem do operador“.

O plano de expansão foi anunciado no início de 2017 na apresentação “Estratégia para o Aumento da Competitividade da Rede de Portos Comerciais do Continente – Horizonte 2026”. Em julho, o Executivo de António Costa aprovou em Conselho de Ministros o decreto-lei que autoriza o concurso público internacional e estabelece as bases da concessão do novo terminal de contentores no porto de Sines.

Na altura, a ministra do Mar explicou que o projeto custará 642 milhões, que serão na totalidade suportados por privados. Irá envolver não só a construção de um cais, mas também a aposta em equipamentos que o Governo espera que coloquem este terminal nas rotas internacionais.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EUA e China na corrida ao novo terminal do Porto de Sines

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião