Jerónimo de Sousa fala em “objetivos imediatos” para apoiar PS

O PCP perdeu deputados mas o PS pode vir a precisar os comunistas para governar. Jerónimo de Sousa já começou a falar dos objetivos mais imediatos.

O líder comunista defendeu este domingo que o posicionamento do partido na próxima legislatura será em função das opções do PS e começou já a traçar os objetivos mais imediatos. Jerónimo de Sousa sinaliza assim que está disposto a negociar caso a caso durante a legislatura. “Não haverá repetição da cena do papel”, disse, falando logo num aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN).

Jerónimo de Sousa falava aos jornalistas numa reação aos resultados das legislativas deste domingo, em que o PS saiu vitorioso mas, ao que tudo indica, sem maioria absoluta. Os socialistas poderão vir a precisar dos comunistas, mas o PCP não se colocou já num cenário de geringonça. Ou seja, os comunistas deixaram em aberto a possibilidade de negociações avulsas sem pré-acordo.

“Será em função das opões do PS que a CDU determinará como sempre o seu posicionamento”, disse o secretário-geral comunista, referindo depois algumas das medidas que fizeram parte dos seu programa eleitoral como sendo “objetivos imediatos” e rejeitando medidas de direita – como reversões na legislação laboral.

Entre as medidas enunciadas por Jerónimo de Sousa estão o aumento do SMN para 850 euros, o aumento real das pensões de reforma, às creches gratuitas até aos três anos, o reforço do investimento em falta na saúde e um orçamento de 1% para a Cultura.

Tal como nas europeias, o líder do partido voltou a atribuir o resultado a uma “intensa operação” contra o partido e antecipou que ainda assim o PCP conseguiu “resistir à erosão até aos patamares que alguns haviam inscrito como inevitáveis”.

O PCP deverá perder deputados face aos atuais 17. A sondagem da RTP dá entre 6% e 8%, ou seja, entre 9 e 14 deputados. A SIC deu entre 4,7% e 7,3%, ou seja, entre 7 e 13 mandatos no Parlamento. Já a TVI atribui entre 6% e 8%, o que significa que tem entre 10 e 14 deputados.

(Notícia atualizada às 22h33 com mais informações)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Jerónimo de Sousa fala em “objetivos imediatos” para apoiar PS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião