Nobel da Física para descobertas sobre a evolução do Universo

  • ECO
  • 8 Outubro 2019

James Peebles vai receber mais de metade do prémio de cerca de 866 mil euros, enquanto Michel Mayor e Didier Queloz vão dividir a outra metade.

James Peebles, Michel Mayor e Didier Queloz foram os vencedores do Prémio Nobel da Física, uma condecoração que se deveu às “contribuições” que estes trouxeram para o “o conhecimento da evolução do Universo e do lugar da Terra no cosmos”. James Peebles vai receber mais de metade do prémio, enquanto os outros dois nomeados vão dividir a outra metade.

Os vencedores já estão anunciados no site da Real Academia Sueca das Ciências, que explica que o canadiano James Peebles receberá a maioria do prémio “pelas descobertas na teoria da cosmologia física”, enquanto Michel Mayor e Didier Queloz dividirão a segunda parte “pela descoberta de um exoplaneta que orbita à volta de uma estrela do tipo solar”. O prémio tem um valor monetário de nove milhões de coroas suecas (866 mil euros).

No ano passado, este prémio foi atribuído a Arthur Ashkin, Gérard Mourou e Donna Strickland, pelas “invenções inovadoras no campo da física do laser”. Arthur Ashkin destacou-se pelas “pinças óticas e pela sua aplicação em sistemas biológicos”, enquanto Gérard Mourou e Donna Strickland “pelo método para gerar pulsos óticos ultracurtos e de alta intensidade”.

O Prémio Nobel da Física já foi atribuído 113 vezes a 213 vencedores entre 1901 e 2019. John Bardeen foi o único a receber este prémio duas vezes, em 1956 e 1972: pelas “pesquisas em semicondutores e pela descoberta do efeito do transístor” e “pela teoria da supercondutividade desenvolvida em conjunto [com Leon Neil Cooper e John Robert Schrieffer], normalmente chamada de teoria da BCS”.

(Notícia atualizada às 11h28 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nobel da Física para descobertas sobre a evolução do Universo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião