SIBS reforça investimento em Castelo Branco. Está a contratar 200 colaboradores

A SIBS já está instalada em Castelo Branco desde 2012, mas está a reforçar o investimento. Vai contratar 200 colaboradores nos próximos meses.

A SIBS, responsável pelo multibanco e pela app MB Way, acaba de inaugurar um novo edifício em Castelo Branco de forma a reforçar o seu investimento nesta localidade e na unidade de Business Process Outsourcing (BPO) ali instalada. Vai contratar 200 novos colaboradores nos próximos meses.

A empresa já está presente neste município desde 2012 e emprega atualmente 300 pessoas nas suas equipas de continuidade de operações de BPO, nomeadamente em serviços de backoffice.

A criação destes postos é um investimento da SIBS para o desenvolvimento da economia desta região, sendo, em paralelo, uma oportunidade para jovens albicastrenses poderem desenvolver carreira na sua localidade de origem, numa das maiores empresas que aqui tem desenvolvido atividade no Município, permitindo igualmente demonstrar o potencial do centro do País.

“Castelo Branco é uma localidade com uma população jovem, ativa e com excelente capacidade profissional que tem ajudado a SIBS a fazer crescer o seu negócio na região”, afirma João Luís Baptista, COO e administrador executivo da SIBS, em comunicado, acrescentando que “estamos certos que o investimento nestas novas instalações demonstra o reforço da aposta da SIBS na região, garantindo a empresa níveis adequados de resiliência operacional mediante a localização do seu negócio em diferentes áreas geográficas seguindo assim as melhores práticas de mercado”.

A SIBS cresceu como fintech, a inovar e tendo a tecnologia como seu driver. Reinventou formas de pagamento já existentes e criou o MB Way, serviço de pagamentos móveis com mais utilizadores em Portugal, que permite fazer compras, transferências imediatas e levantamentos, utilizando apenas o telemóvel.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

SIBS reforça investimento em Castelo Branco. Está a contratar 200 colaboradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião