Mais um dia negro na bolsa de Lisboa. CTT derrapam e voltam a valer 3,00 euros por ação

Foram 14 as cotadas que fecharam o dia abaixo da linha de água, pressionando o PSI-20. Os CTT lideraram perdas com queda de 4,5%. A bolsa de Lisboa acompanhou as perdas nas praças europeias.

Os CTT caíram mais de 4% na sessão desta quinta-feira, liderando as quedas em Lisboa. A bolsa nacional fechou o dia em terreno negativo, num dia de aversão ao risco em toda a Europa.

O PSI-20, o principal índice português, caiu 0,905 para 5.172,77 pontos, com 14 cotadas a encerrarem abaixo da linha de água. Destaque para os CTT: as ações cederem 4,52% regressando à casa dos 3,00 euros, depois de um prolongado rally nas últimas semanas.

Pesos pesados como EDP, EDP Renováveis e BCP contribuíram para uma queda mais expressiva na praça portuguesa: o banco liderado por Miguel Maya perdeu 1,03% para 0,2026 euros, enquanto as duas elétricas cederam 1,86% para 3,646 euros (EDP) e 1,96% para 10,00 euros (EDP Renováveis).

CTT deslizam

Fora do índice de referência nacional, as ações da Martifer também estiveram sob forte pressão vendedora, isto depois de ter anunciado um aumento de capital no valor de 40 milhões de euros. Na reação, os títulos cederam 9,95% para 0,362 euros.

Lá por fora o sentimento também foi negativo, mas as perdas foram mais contidas. O índice de referência europeu Stoxx 600 cedeu 0,36%. O CAC-40 e o FTSE-Mib deslizaram em torno de 0,2%. O IBEX-35 caiu 0,1%. Do outro lado do Atlântico, os principais índices bolsistas estão em perda por causa da notícia de que o acordo comercial entre EUA e China poderá só vir a acontecer no próximo ano, e não em meados do próximo mês como se apontava.

(Notícia atualizada às 17h03)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mais um dia negro na bolsa de Lisboa. CTT derrapam e voltam a valer 3,00 euros por ação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião