Bright Sunday investe mais de dez milhões de euros em Portugal até ao fim do ano

  • Lusa
  • 28 Novembro 2019

A empresa de paineis solares Bright Sunday prevê que o investimento em Portugal ultrapasse os dez milhões de euros até ao final do ano, depois do lançamento em 2016.

O investimento da Bright Sunday em Portugal vai ultrapassar os dez milhões de euros até final do ano, focando-se na energia renovável, nomeadamente painéis solares, anunciou hoje a empresa sueca.

A empresa, com sede em Estocolmo e especializada em soluções de energia renovável, refere que, “até ao final de 2019, vai ultrapassar a marca dos dez milhões de euros de investimento no mercado português, fornecendo soluções para a implementação de painéis solares e outras tecnologias limpas de poupança de energia”.

Segundo as previsões apontadas em comunicado, “o acelerado ritmo de crescimento da Bright Sunday vai continuar ao longo dos próximos anos, com a previsão de realização de investimentos de cerca de 250 milhões de euros em Portugal e Espanha”, país que será o próximo mercado de expansão da sua atividade.

Em 2019, provámos efetivamente as potencialidades do nosso modelo de negócio em Portugal”, defende a Bright Sunday, explicando ter assegurado contratos com empresas de várias áreas, incluindo clubes de futebol, produtores de vinho, empresas de moda, hotéis ou setor alimentar.

A Bright Sunday escolheu Portugal como o seu mercado de lançamento em 2016 e entre as razões para a sua decisão listou fatores como o elevado número de empresas portuguesas exportadoras, “muitas das quais mantendo acordos comerciais com grandes companhias suecas com uma procura crescente em termos de sustentabilidade da cadeia de fornecedores”.

Atualmente, a BrightSunday trabalha com mais de 20 parceiros de engenharia, procurement e construção em Portugal e Espanha na implementação de painéis solares fotovoltaicos e iluminação LED.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bright Sunday investe mais de dez milhões de euros em Portugal até ao fim do ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião