Pensões até 877,6 euros devem subir 0,7% em janeiro

As pensões até 877,6 euros deverão subir 0,7% a partir de janeiro do próximo ano. Isto de acordo com os dados provisórios divulgados, esta sexta-feira, pelo INE.

A partir de janeiro do próximo ano, as pensões mais baixas deverão beneficiar de um aumento normal de 0,7%. De acordo com a estimativa rápida divulgada, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística, a variação média do Índice de Preços no Consumidor (IPC) nos últimos 12 meses (e sem habitação) foi de 0,24%. A esse valor acresce um bónus de 0,5%, já que a economia portuguesa cresceu mais de 2% nos últimos dois anos.

Por lei, quando a média do crescimento do PIB nos últimos dois anos ultrapassa os 2%, soma-se 20% desse valor à inflação dos últimos 12 meses, tendo esse “bónus” um limite mínimo de 0,5 pontos percentuais (p.p). Logo, aos 0,24% de inflação provisórios acresce esses tais 0,5%, totalizando uma subida de 0,74% para as pensões mais baixas, taxa que se arredonda para 0,7%.

Os restantes pensionistas também vão ver as suas pensões engordar. Para as pensões entre 877,6 euros (duas vezes o Indexante dos Apoios Sociais) e 2.632,8 euros (seis vezes o Indexante dos Apoios Sociais), a subida deverá ser de 0,24%.

Diz ainda a lei que as pensões superiores a seis vezes o Indexante dos Apoios Sociais (IAS) — ou seja, 2.633,88 euros — são atualizadas de acordo com a inflação dos últimos doze meses subtraída de 0,25 p.p.. Ora, como os dados provisórios indicam que a variação média, sem habitação, nos últimos 12 meses terá ficado nos 0,2% em novembro, ainda não é certo o que acontecerá a estas pensões.

Nos últimos anos, à subida normal das pensões acresceu ainda uma subida extraordinária determinada pelo Executivo de António Costa.

Este ano, as eleições de 6 de outubro atrasaram a apresentação do Orçamento do Estado para o próximo ano, não sendo claro que essa subida extra (além da já garantida pela inflação e pelo crescimento da economia) se irá repetir em janeiro de 2020.

Os dados provisórios da inflação publicados pelo INE, esta sexta-feira, permitem ainda calcular a atualização dos tetos mínimo e máximo do subsídio de desemprego: sobem entre 3,04 e 7,6 euros para 438,8 euros e 1.097 euros.

(Notícia atualizada às 09h58)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pensões até 877,6 euros devem subir 0,7% em janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião