Trump anuncia tarifas aduaneiras contra o Brasil e Argentina

O Presidente dos Estados Unidos da América acusou a Argentina e o Brasil de se aproveitarem do dólar americano, ao desvalorizarem as suas moedas. Anunciou tarifas sobre o aço e alumínio desses países.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta segunda-feira novas tarifas aduaneiras, mas desta vez contra importações provenientes no Brasil e da Argentina. As taxas aplicam-se ao aço e alumínio com “efeito imediato”.

Na sua conta oficial no Twitter, o Chefe de Estado norte-americano acusa o Brasil e a Argentina de estarem a fazer “uma desvalorização massiva das suas moedas”, com o intuito de se “aproveitarem do nosso dólar forte”, o que nas palavras de Trump não é “bom para os nossos agricultores”.

Nesse sentido, o Presidente anunciou que iria aplicar novas taxas “com efeitos imediatos” por forma a combater essa ameaça. Além disso, Trump voltou a pedir à Reserva Federal norte-americana que tome medida, por forma a proteger a economia norte-americana, aconselhando, por exemplo, a baixar as taxas de juro.

Brasil e Argentina são os últimos numa série de países aos quais Trump tem aplicado tarifas aduaneiras por considerar que estão a aproveitar-se dos EUA.

Recentemente, por causa das ajudas europeias à Airbus, Trump impôs tarifas sobre vários produtos europeus, entre eles laticínios produzidos em Portugal. E admitiu avançar com novas taxas aduaneiras aos automóveis europeus.

Mais visível, e com efeitos mais nefastos, tem sido a guerra comercial com a China., que começou há quase dois anos e que, diz o FMI, está a pesar na economia mundial. Os dois países já fecharam um acordo preliminar para a redução gradual das taxas, mas ainda não é final.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump anuncia tarifas aduaneiras contra o Brasil e Argentina

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião