Exportações cresceram mais do que importações pela primeira vez este ano

Em outubro, as vendas de bens ao exterior registou uma aceleração, aumentando 8,4%. Cresceram mais do que as importações (+6,5%), contrariando uma tendência que se tem verificado ao longo de 2019.

As exportações de bens registaram uma aceleração ligeira no mês de outubro, tendo aumentado 8,4% face ao mesmo período do ano passado. As vendas ao exterior cresceram mais do que as importações, que subiram 6,5% naquele mês, contrariando uma tendência que se tem verificado ao longo do ano. Ainda assim, 2019 mantém o desequilíbrio nas trocas comerciais portuguesas.

Os dados foram revelados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Apenas incluem informações sobre o comércio de bens, deixando de fora a balança de serviços, que inclui atividades como o turismo, por exemplo, permitindo ter uma ideia completa das relações comerciais de Portugal com o exterior.

Outubro foi mesmo o primeiro mês de 2019 em que as exportações de bens cresceram mais do que as importações, uma tendência dominante na economia portuguesa este ano motivada pela recuperação do investimento, o que tem aumentado as necessidades de compras nos mercados internacionais, como chegou a destacar a Comissão Europeia.

Para o conjunto do ano, o Governo espera que as exportações totais (onde estão incluídos bens e serviços) cresçam 2,9% enquanto as importações totais deverão aumentar 5,4%. Para já, entre janeiro e outubro, as compras de bens lá fora estão a subir 7,8%, ao passo que as vendas de bens avançam 3,0%.

Em relação ao mês de outubro, o INE explica que a variação das exportações e importações foi principalmente resultado da evolução registada no comércio com países da União Europeia (+7,0% nas exportações e +6,6% nas importações), salientando os acréscimos nas exportações e importações de Material de transporte (+12,9% e +19,3%, respetivamente).

Apesar das vendas ao exterior terem crescido mais do que as compras, a balança comercial de bens registou um agravamento de sete milhões de euros em termos homólogos, atingindo um saldo negativo de 1.647 milhões de euros em outubro. Excluindo os combustíveis e lubrificantes, o défice da balança comercial foi de 1.138 milhões de euros, menos seis milhões de euros.

No acumulado do ano, Portugal regista uma balança de bens deficitária em 17 mil milhões de euros, igualando já valores de 2018.

(Notícia atualizada às 11h48)

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Exportações cresceram mais do que importações pela primeira vez este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião