Fundo de pensões do BPI compra Pestana Delfim Hotel por 35 milhões

O Pestana Delfim Beach & Golf Hotel, no Algarve, foi vendido a um fundo de pensões. Esta é considerada uma das maiores transações hoteleiras a nível nacional.

O Pestana Delfim Beach & Golf Hotel, em Alvor, foi vendido ao fundo de pensões do BPI por cerca de 35 milhões de euros. O empreendimento com mais de 300 quartos pertencia a um fundo da empresa de gestão de créditos Finsolutia, apurou o ECO. Esta é considerada uma das maiores transações hoteleiras a nível nacional.

Localizado a cinco minutos a pé da praia do Alvor, o hotel passa agora a ser propriedade de um fundo de pensões, adiantou esta quarta-feira a Worx, que representou o comprador, mas o ECO apurou que se trata de um fundo do BPI. Esta operação contraria “um pouco a tendência que se tem registado ultimamente neste setor”, diz a consultora, dado que a maioria dos hotéis tem passado para a mão de investidores internacionais.

Pestana Delfim HotelD.R.

Fechada por cerca de 35 milhões de euros, esta foi a maior operação em investimentos de hotelaria no Algarve registada no quarto trimestre de
2019 e uma das maiores a nível nacional, o que demonstra a efervescência do mercado de hotelaria, em particular na zona do Algarve, refere a Worx.

“A confiança, experiência, dedicação e discrição, são as fundações sobre as quais a Worx assenta o seu trabalho e pelas quais obtém reconhecimento do mercado quando participa neste tipo de operações”, diz Pedro Valente, do Departamento de Capital Markets da Worx.

A unidade hoteleira tem 240 quartos duplos, 59 quartos familiares e 13 suítes, um restaurante, dois bares, cinco salas de reuniões e um salão de eventos. O Grupo Pestana está no imóvel como arrendatário e, depois desta operação, assim vai continuar.

Pestana Delfim HotelD.R.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fundo de pensões do BPI compra Pestana Delfim Hotel por 35 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião