Alexandre Fonseca: “Altice não abdica do controlo da fibra ótica”

A Altice vendeu 49,99% da rede de fibra ótica, e Alexandre Fonseca garante que a companhia vai continuar a controlar esta infraestrutura.

A Altice fechou o acordo de venda da fibra ótica à Morgan Stanley Infraestructures Partners, um processo que decorria há meses e com vários concorrentes, mas Alexandre Fonseca garante, num email enviado esta manhã de sexta-feira aos trabalhadores, a que o ECO teve acesso, que a “Altice Portugal não abdica do controlo do negócio desta infraestrutura e da sua posição dominante (mais de 50%)”.

A Altice vendeu à Morgan StanleyPInfrastructure Partners 49,99% da rede de fibra ótica que tem em território nacional, num negócio que avalia agora a rede em 4,63 mil milhões de euros. Com esta transação, que deverá estar concluída no primeiro semestre do próximo ano, a Altice espera umencaixe de 1.565 milhões de euros em 2020. Para além dos 1.565 milhões em 2020, a Altice receberá mais 375 milhões de euros em dezembro de 2021 e outros 375 milhões em dezembro de 2026, lê-se no comunicado.

No email aos trabalhadores, o presidente executivo da Altice explica esta opção. “Ao longo dos últimos meses, múltiplos operadores manifestaram interesse em utilizar as nossas infraestruturas em Portugal, num fulcral e positivo sinal quanto à importância e atratividade do mercado nacional. O interesse manifestado pela fibra ótica da Altice Portugal veio refletir o reconhecimento da estratégia do Grupo, o valor intrínseco e o prestígio do património e dos investimentos que a empresa tem realizado no País”.

Alexandre Fonseca sublinha que a Altice vai manter o controlo desta infraestrutura. “A infraestruturação do país em fibra ótica é um dos nossos eixos estratégicos para Portugal pelo que manteremos a nossa posição, de forma continuada, de sermos os maiores investidores em Portugal e o objetivo de alcançar as 5,3 Milhões de casas com fibra ótica, que vão tornar Portugal o primeiro país da Europa com cobertura praticamente integral de fibra ótica”.

Este e o maior negócio da Altice em Portugal desde que comprou a PT. “Este é um marco que vem demonstrar o potencial do País, assim como o compromisso e a capacidade da Altice em atrair investimento internacional, fundamental para a nossa liderança económica-financeira e tecnológica e também para a de Portugal”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alexandre Fonseca: “Altice não abdica do controlo da fibra ótica”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião