Empresas vão poder abater IVA da energia usada para carregar elétricos e híbridos

Até aqui, as empresas podiam deduzir ao IRC até 50% do IVA do gasóleo. Mas a medida vai ser alargada aos elétricos e híbridos, abrangendo a totalidade do imposto.

As empresas vão poder deduzir no IRC a totalidade do IVA suportado com a eletricidade gasta no carregamento de carros elétricos e híbridos. A medida está numa versão preliminar do Orçamento do Estado para 2020, a que o ECO teve acesso.

Ao abrigo do Código do IVA, as empresas já podiam deduzir 50% do IVA do gasóleo, mediante algumas condições. No entanto, a partir de 2020, vão poder deduzir também no imposto 100% do IVA pago com a aquisição de energia para o carregamento das baterias.

Esta medida junta-se, assim, aos incentivos às empresas para a utilização de automóveis elétricos e híbridos, vistos como mais ecológicos do que os carros com motores de combustão, que usam combustíveis derivados do petróleo.

Entre as novidades previstas para as empresas em 2020 está também o alargamento do primeiro escalão da tributação autónoma na compra de automóveis pelas empresas. Até aqui, só as aquisições até 25.000 euros eram tributadas a uma taxa de 10%, mas este intervalo vai evoluir para 27.500 euros, como noticiou o ECO esta segunda-feira.

Concretamente, no caso das pequenas e médias empresas (PME), o valor máximo dos lucros que pagam taxa reduzida de IRC passa de 15 mil euros para 25 mil euros, alargando o benefício a mais PME.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas vão poder abater IVA da energia usada para carregar elétricos e híbridos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião