Depressão Elsa deixa dois mortos e um desaparecido. Circulação na Ponte Vasco da Gama condicionada

  • Lusa e ECO
  • 20 Dezembro 2019

Há 12 distritos de Portugal continental e a costa norte da Madeira sob aviso laranja devido à agitação marítima. O mau tempo provocou mortos, um desaparecido e muitos estragos.

O mau tempo em todo o país, causado pela depressão Elsa, já provocou cerca de 7.000 ocorrências, a maioria inundações e quedas de árvores, desde quarta-feira, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC). Fez duas vítimas mortais, no Montijo e em Castro Daire, uma pessoa desaparecida e mais de 80 desalojados. Há várias perturbações nos transportes públicos, como, por exemplo, na ligação fluvial entre a Trafaria, em Almada, e Belém, em Lisboa, que se encontra, suspensa. Na Ponte 25 de Abril os comboios da Fertagus circulam de forma alternada e o intercidades descarrilou sem causar feridos.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) tem esta sexta-feira sob aviso laranja (o segundo mais grave) 12 distritos de Portugal continental e a costa norte da Madeira devido sobretudo à agitação marítima. Leiria, Santarém e Portalegre estão sob aviso laranja também devido às previsões de precipitação forte entre as 12h00 e as 15h00 nos dois primeiros casos e entre as 12h00 e as 18h00 no caso de Portalegre.

no rio Douro, o nível de alerta de cheias subiu de laranja para vermelho devido à necessidade de realizar descargas nas barragens, que estão a atingir a sua capacidade máxima. “Incrementámos o nível de alerta de cheias no Douro para vermelho, atendendo à grande quantidade de água nas albufeiras a montante, motivo pelo qual vão ter de fazer descargas que, conjugadas com a maré cheia que se prevê para esta noite, farão aumentar o nível da água”, disse o comandante da Capitania do Douro, Cruz Martins, citado pela Lusa. A situação não se vai resolver no dia de hoje, explicou, acrescentando estar a monitorizar o que vai acontecendo.

Num balanço feito ao início da tarde, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) referiu que os distritos mais afetados pelo mau tempo são Porto, Viseu, Aveiro, Coimbra, Braga e Lisboa. Já a Proteção alerta que a situação poderá agravar-se até às 20h desta sexta-feira, sendo que depois expectável que a situação comece a estabilizar.

O mau tempo está a provocar, pelo segundo dia consecutivo, constrangimentos nos transportes públicos. A ligação fluvial entre a Trafaria, em Almada, e Belém, em Lisboa, encontra-se suspensa desde as 13h00 desta sexta-feira devido às condições atmosféricas que se fazem sentir, anunciou a Transtejo, não havendo previsão de quando será retomada. Numa resposta à Lusa, a empresa indicou ainda que “as restantes ligações da Transtejo e Soflusa estão operacionais”.

Na Ponte 25 de Abril os comboios da Fertagus circulam de forma alternada, avançou a empresa de transportes numa publicação no Facebook. “Informamos que devido às condições meteorológicas que se verificam, a circulação de comboios na Ponte 25 de abril efetua-se de forma alternada, só circulando um comboio de cada vez (Regime de Itinerário Pesado)”, lê-se na publicação. A Fertagus adianta ainda que “se as condições de vento forte se agravarem, (ventos superiores a 90 km/h) a circulação pode mesmo ser suspensa”.

Ao mesmo tempo, a circulação na Linha do Norte foi suspensa entre Oliveira do Bairro e Mogofores, concelho de Anadia. Já a Linha da Beira Alta mantém o serviço interrompido entre Luso, concelho da Mealhada, e Oliveira do Bairro, confirmou à Lusa fonte da Infraestruturas de Portugal (IP). Nas duas situações a circulação foi suspensa devido à queda de uma árvore sobre a catenária (sistema de distribuição e alimentação elétrica aéreo).

O mau tempo também levou ao descarrilamento do intercidades na zona de Forno de Algodres, no distrito da Guarda, que não provocou vítimas, mas obrigou à retirada dos passageiros pelos bombeiros. Em declarações aos jornalistas na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, em Carnaxide, Oeiras, o comandante Pedro Nunes disse que havia “equipas de socorro no local, mas não havia feridos a registar”.

No que toca às limitações rodoviárias, a velocidade de circulação máxima na Ponte Vasco da Gama foi limitada a 90 km/h, informou a Câmara Municipal de Lisboa, no twitter. Já na Ponte 25 de Abril a circulação de pesados faz-se alternadamente.

Rios galgam margens, há falhas na energia e estragos em edifícios

O rio Douro galgou esta sexta-feira as margens e inundou zonas ribeirinhas de Vila Nova de Gaia e do Porto, disseram à Lusa fonte dos Bombeiros e da Polícia Marítima. Em Águeda e em Chaves, os rios Águeda e Tâmega também galgaram as margens, provocando cheias e carros e casas inundados.

Os estragos causados pela depressão Elsa na rede elétrica da EDP Distribuição já deixaram 157 linhas de alta e média tensão fora de serviço. Para responder às falhas no serviço, a empresa está a instalar geradores de emergência, em particular em estações elevatórias, onde o restabelecimento é mais difícil.

Em declarações à agência Lusa, pelas 18h00 desta sexta-feira, o presidente do conselho de administração da EDP Distribuição, João Torres, referiu que 95% dos 400 mil casos de falta de eletricidade estão resolvidos, acrescentando que os distritos mais críticos são os de Viseu e de Coimbra e que permanecem inoperacionais 67 linhas de alta e média tensão. A empresa espera que estas linhas fiquem operacionais até ao final do dia desta sexta-feira, “ficando com as questões da baixa tensão para resolver nos dias seguintes”, apontou.

A Altice Portugal reforçou para mais de meio milhar o número de técnicos e operacionais especializados para responder às situações de afetação de serviço e clientes em todo o país causadas pelo mau tempo.

A Vodafone disse, esta quinta-feira, ter o serviço de rede móvel indisponível em algumas regiões do Centro e Norte do país devido a falhas de energia elétrica. A Nos adiantou que a depressão Elsa “teve impacto ligeiro nos serviços da NOS”, com maior intensidade na região Norte durante a manhã, sendo que existem equipas de prevenção no terreno desde a madrugada, de acordo com a Lusa.

A depressão Elsa obrigou também ao cancelamento de oito voos da companhia aérea açoriana SATA na quinta-feira, sendo quatro ligações interilhas e quatro do arquipélago com o exterior, afetando cerca de 1000 passageiros. O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, foi afetado pela depressão Elsa que assola o país e vais estar fechado “nos próximos tempos”, disse à Lusa fonte oficial da Fundação EDP.

Depois da Elsa, vem aí a Fabien

Entretanto, o IPMA alertou também para os efeitos de uma nova depressão, denominada Fabien, que atingirá Portugal no sábado. Segundo o IPMA, o Norte e o Centro serão as zonas do país mais afetadas por esta depressão, estando previstos intensos períodos de chuva e fortes rajadas de vento.

Contudo, prevê-se que os efeitos da depressão Fabien não apresentem em Portugal continental a mesma intensidade do que os da tempestade Elsa, “em particular em termos de vento e com mais significado em termos de precipitação”. O IPMA prevê uma melhoria gradual do estado do tempo a partir de domingo.

(Notícia atualizada com mais informações esta sexta-feira, dia 20, às 21h10)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Depressão Elsa deixa dois mortos e um desaparecido. Circulação na Ponte Vasco da Gama condicionada

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião