Cerca de 15 mil pessoas nas ruas de Madrid em defesa da Constituição

  • Lusa
  • 4 Janeiro 2020

Milhares de pessoas manifestaram-se este sábado no centro de Madrid em defesa da Constituição e da unidade do país. Movimento foi convocado através das redes sociais.

Cerca de 15 mil pessoas manifestaram-se este sábado, no centro de Madrid (Espanha), em defesa da Constituição e da unidade do país, convocadas através das redes sociais. O número de manifestantes foi avançado por fonte policial.

Os manifestantes deslocaram-se da Praça de Colombo até às cercanias do Congresso, onde decorria a sessão de debate de investidura do candidato à presidência do Governo, Pedro Sánchez, numa iniciativa que foi promovida através de contas na rede social Twitter, sob o lema “Para o futuro de Espanha”.

Alguns dos manifestantes ostentavam bandeiras espanholas e cartazes, enquanto cantavam slogans como “sou espanhol” e “fora Sánchez”, numa demonstração de desconfiança para com o Governo de coligação que nos próximos dias será investido e num momento em que os apelos ao independentismo na Catalunha dividem a sociedade espanhola.

Enquanto decorria a manifestação, no palácio do Congresso o candidato à presidência do Governo dizia que com o seu executivo “não se vai dividir Espanha, não se vai rasgar a Constituição”, mas na Praça de Colombo um jovem lia um manifesto explicando que o protesto procura demonstrar que, apesar das promessas dos governantes, a sociedade está preocupada com a situação política.

“Somos pessoas comuns que saíram às ruas para se manifestar em defesa dos seus interesses”, diz o manifesto, que apela à unidade do país e pede que “o futuro não dependa de partidos que queiram dividir a Espanha”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Cerca de 15 mil pessoas nas ruas de Madrid em defesa da Constituição

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião