Embarque aberto: Multitempo recruta para os aeroportos de Lisboa, Porto e Faro

A empresa de recrutamento quer preencher centenas de vagas nos três aeroportos portugueses para reforçar a assistência de passageiros e os departamentos de logística.

A Multitempo vai organizar “open air days” de recrutamento para os aeroportos de Lisboa, Faro e Porto. A empresa de recrutamento não divulga o número certo de vagas, mas garante que há “várias centenas” para preencher nos três aeroportos para reforçar os serviços de assistência aos passageiros e às áreas de logística.

Os principais requisitos para as funções disponíveis incluem total disponibilidade para trabalhar em horários por turnos em regime de part-time e full-time, em horários rotativos, elevada capacidade de relacionamento e fluência em língua inglesa.

O recrutamento para o aeroporto de Faro vai acontecer a 14 de janeiro, na sede a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE). O aeroporto está à procura de candidatos para dar apoio a passageiros de mobilidade reduzida, assistente de informações, para check-in e cargas e descargas. A inscrição deve ser feita até 12 de janeiro.

Em Lisboa, o “open day” está agendado para 22 de janeiro na sede da Multitempo. O aeroporto Humberto Delgado está a recrutar para vagas como assistente de informações, apoio a passageiros com mobilidade reduzida, cargas e descargas, acompanhamento de crianças e zona de check-in. A inscrição deve ser feita até 19 de janeiro.

O aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, no Porto, procura assistentes de passageiros com mobilidade reduzida. Se está interessado em trabalhar neste aeroporto, o open day vai acontecer a 3 de fevereiro no TRYP Porto Expo Hotel, e a inscrição deve ser submetida aqui até 28 de janeiro.

Em 2019, a mesma iniciativa permitiu preencher 270 vagas nos três aeroportos e o objetivo é superar este número em 2020.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Embarque aberto: Multitempo recruta para os aeroportos de Lisboa, Porto e Faro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião