Multitempo vai recrutar em Alvalade e tem 100 vagas disponíveis

A empresa de trabalho temporário vai recrutar na 1.ª feira de emprego de Alvalade, em Lisboa, a 6 e 7 de setembro. Há 100 vagas para a área da banca, indústria, aeroporto, portagens e call centers.

A empresa de trabalho temporário Multitempo vai estar presente na primeira edição da feira de emprego e formação de Alvalade, no pavilhão municipal da freguesia, em Lisboa, no primeiro fim de semana de setembro. A Multitempo quer preencher cerca de 100 vagas que tem disponíveis para trabalho full-time e part-time. O primeiro Mercado de Emprego destina-se ao recrutamento para empresas na freguesia de Alvalade, mas é aberto a candidatos de todo o concelho de Lisboa. Os interessados deverão levar consigo o CV.

A Multitempo tem vagas disponíveis para a área da banca, em ambiente de agência ou nos serviços centrais de instituições; na logística, para funções de operador de armazém, empilhador ou administrativo; na indústria, para operadores, técnicos de manutenção, segurança, qualidade, ambiente, entre outras. Estão ainda abertas oportunidades para várias funções no aeroporto, em particular apoio aos passageiros e áreas logísticas, e para call centers nos ramos da saúde e seguros. Para quem procura um part-time semanal ou trabalhos só ao fim de semana, também há vagas para trabalhar em Portagens.

Segundo a junta de Freguesia de Alvalade, esta é uma forma de “criar sinergias entre a junta, o tecido empresarial e outras instituições”, tendo como principal objetivo combater o desemprego na freguesia.

Além da Multitempo, vão estar presentes no Mercado de Emprego empresas como a Sonae, com vagas para o Continente Bom dia, a Jerónimo Martins para as lojas do Pingo Doce, o Exército, a Marinha e a Santa Casa da Misericórdia. O Mercado de Emprego terá ainda uma componente formativa, com workshops sobre recrutamento.

Em abril, a Multitempo promoveu o Open Industry Day, para divulgar e recrutar para um total de 250 vagas de emprego no setor industrial.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Multitempo vai recrutar em Alvalade e tem 100 vagas disponíveis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião