Obras na Praça de Espanha arrancam hoje. Trânsito vai estar condicionado durante 10 meses

  • Lusa
  • 13 Janeiro 2020

As obras na Praça de Espanha, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira e já estão a condicionar o trânsito, tendo obrigado ao corte de parte do anel interior da rotunda.

As obras do novo Parque Urbano da Praça de Espanha, Lisboa, começaram esta segunda-feira, obrigando ao corte de parte do anel interior da rotunda, com o presidente da autarquia a considerar que o momento mais incómodo é o começo da empreitada.

“O momento mais crítico em relação à circulação automóvel é o início, porque é um momento em que tem de haver a adaptação de aqueles que todos os dias entram e saem da cidade de Lisboa e em que há uma necessidade de adaptação por parte dos automobilistas”, disse Fernando Medina aos jornalistas no local da obra.

Por volta das 08:30 foi encerrado o trânsito no anel que circunda o relvado central, no sentido Avenida Calouste Gulbenkian–Avenida dos Combatentes. Os momentos de corte à circulação vão “oscilar” ao longo do período da obra, que se vai prolongar durante os próximos 10 meses.

“Durante todos os momentos equipas da Polícia Municipal vão ser destacadas para este local, para apoiar a circulação, e creio que vai correr com normalidade. Com o constrangimento que uma obra coloca, mas com normalidade, dado o tipo de uma intervenção desta natureza”, acrescentou Fernando Medina.

A estação de metropolitano da zona (Praça de Espanha, na Linha Azul) vai ser requalificada, com a instalação de um elevador. “Após a conclusão da obra a circulação vai funcionar melhor, com circuitos mais fluidos nas ligações diretas à Avenida de Berna, Avenida Calouste Gulbenkian e Avenida dos Combatentes, à Avenida António Augusto Aguiar”, disse ainda o presidente da Câmara de Lisboa.

Fernando Medina, presente no local no momento do primeiro corte de trânsito, disse que atualmente a Praça de Espanha é uma “área incaracterística” e que a obra vai dar origem a um novo jardim de seis hectares, com mais de 600 árvores, além de ligações pedonais.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Obras na Praça de Espanha arrancam hoje. Trânsito vai estar condicionado durante 10 meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião