Sem Google Maps, Huawei faz aliança com os mapas da TomTom

A TomTom anunciou que vai fornecer à Huawei mapas e serviços navegação para o novo ecossistema da marca chinesa. A empresa alemã será alternativa à Google.

Fora do ecossistema comercial do Android e sem acesso ao Google Maps, a Huawei decidiu procurar outro aliado. E já o encontrou. A tecnológica chinesa fechou um acordo com a TomTom que lhe permitirá usar nos novos smartphones os mapas da conhecida marca de GPS para condutores.

No ano passado, a Google viu-se obrigada a deixar de fornecer o Android à Huawei, deixando a empresa chinesa de fora da loja de aplicações Play Store, depois de a Administração Trump ter colocado a Huawei numa “lista negra”. Os EUA alegam que a Huawei é um veículo de espionagem ao serviço de Pequim, uma acusação que a empresa tem recusado com veemência.

Face a esta barreira, a Huawei comprometeu-se com o desenvolvimento de um sistema operativo próprio, independente das aplicações da Google, que ajudaram a pôr os smartphones da marca no pódio dos mais vendidos. Assim, com este acordo com a TomTom, a Huawei ganha acesso a serviços alternativos aos da Google. Entre eles, os mapas digitais, informação de trânsito e outro software de navegação, noticiou o SCMP.

De acordo com o jornal chinês, que cita um porta-voz da TomTom, o acordo já tinha sido fechado há algum tempo, mas apenas anunciado agora. Não foram reveladas as razões. A Huawei também não comentou.

A Huawei tem tentado cativar programadores para desenvolverem aplicativos para o novo ecossistema que está a criar. Recentemente, segundo o SCMP, a empresa anunciou um investimento de 20 milhões de libras (23,4 milhões de euros) para atrair programadores britânicos e irlandeses.

Além disso, a 4 de novembro, no Web Summit, em Lisboa, Guo Ping, presidente executivo rotativo da Huawei, disse que a empresa vai investir 1,5 mil milhões de dólares (1,4 mil milhões de euros) em cinco anos ao abrigo do Huawei Developer Program.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sem Google Maps, Huawei faz aliança com os mapas da TomTom

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião