Extrato de comissões chega este mês. Já consultou o seu?

  • ECO
  • 28 Janeiro 2020

Os bancos são obrigados a enviar em janeiro de cada ano o extrato com todas as comissões que cobraram aos clientes no ano anterior. O Banco de Portugal explica tudo o que este extrato deve conter.

Tem conta bancária? Então verifique o seu extrato de comissões. A recomendação é do Banco de Portugal que lembra aos clientes bancários que os bancos são obrigados a facultar, durante o mês de janeiro de cada ano, o rol dos encargos com comissões que lhes foram cobradas no ano anterior.

“Se tem uma conta de depósito à ordem saiba que, durante o mês de janeiro, deverá receber um extrato de comissões”, diz o Banco de Portugal num comunicado divulgado nesta terça-feira e a escassos dias de o mês de janeiro terminar. Explica ainda que este documento que pode ser enviado por correio ou e-mail, ou então consultado no homebanking ou na app do banco do cliente, deve conter informação “sobre todas as comissões cobradas no ano anterior pelos serviços associados à sua conta”.

O regulador da banca dá ainda conta que o extrato de comissões veio substituir a chamada “fatura-recibo” e tem um formato e um símbolo normalizados, definidos pela Comissão Europeia. No topo da primeira página, contém o título “Extrato de comissões”.

O Banco de Portugal discrimina ainda, em quatro pontos, o conjunto de informação que o extrato de comissões deve conter, bem como o respetivo detalhe. Designadamente:

  • A comissão unitária cobrada por cada serviço e o número de vezes que o serviço foi utilizado;
  • O montante total das comissões cobradas para todos os serviços prestados durante o ano anterior;
  • A taxa de juro aplicada à facilidade de descoberto, se a tiver contratado, ou a eventuais ultrapassagens de crédito, e o montante total dos juros cobrados;
  • A taxa de juro remuneratória aplicada à respetiva conta à ordem, se existir, e o montante total dos juros auferidos.

Se o extrato de comissões for enviado por e-mail, a entidade liderada por Carlos Costa esclarece que a mensagem de correio eletrónico deve conter, no assunto, a expressão “extrato de comissões”. Já se for disponibilizado através do homebanking ou da app, a instituição deve informar o cliente, por e-mail ou por SMS, sobre o local do site ou da app onde pode consultar o extrato de comissões.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Extrato de comissões chega este mês. Já consultou o seu?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião