Antas da Cunha Ecija reforça equipa de Fiscal

A Antas da Cunha Ecija acaba de reforçar a sua equipa de Direito Fiscal com a integração de Margarida Marques Carvalho, na qualidade de associada sénior. A advogada transita da Abreu.

A Antas da Cunha Ecija acaba de reforçar a sua equipa de Direito Fiscal com a integração de Margarida Marques Carvalho, na qualidade de associada sénior. A advogada transita da Abreu onde exerceu a sua atividade nos últimos sete anos.

Margarida Marques Carvalho desenvolveu e centrou a sua prática na área do contencioso tributário incluindo a intervenção em processos de arbitragem tributária. Colaborou na execução de projetos legislativos em matéria fiscal nos setores da saúde e do desporto e participou em várias Due Diligence fiscais a grandes grupos empresariais.

Para Fernando Antas da Cunha, managing partner da Antas da Cunha Ecija: “É com enorme satisfação que acolhemos a Margarida na nossa equipa. Trata-se de uma profissional com provas dadas cujo contributo, estou certo, será de grande relevância para a Sociedade, numa área onde as solicitações têm superado largamente as nossas expectativas”. E remata: Ao longo dos últimos 4 anos, a área fiscal tornou-se numa área estratégica para o nosso escritório. Nesse sentido, não ficaremos por aqui. Estamos atentos ao mercado e tudo faremos para continuar a proporcionar o melhor serviço aos nossos clientes”.

Margarida Marques Carvalho é licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (2000). Possui um curso de especialização em Fiscalidade pelo INDEG/ISCTE (2001) e um curso de Contabilidade para juristas pela Universidade Católica Portuguesa – Escola de Lisboa (2004). É pós-graduada em Direito Fiscal / Planeamento Fiscal pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (2005) e frequentou o Mestrado em Fiscalidade (parte curricular) do Instituto Superior de Gestão.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Antas da Cunha Ecija reforça equipa de Fiscal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião