Fusão. Antas da Cunha ECIJA integra Vieira Advogados

A sociedade de advogados liderada por Fernando Antas da Cunha integrou a Vieira Advogados, firma sediada em Braga. Com esta fusão, a Antas da Cunha ECIJA aposta no direito digital.

A sociedade de advogados Antas da Cunha ECIJA integrou da Vieira Advogados. Após cerca de dois anos desde a fusão com a espanhola ECIJA, a firma liderada por Fernando Antas da Cunha “reforça o seu posicionamento no mercado português e aumenta exponencialmente o seu leque de competências numa área considerada estratégica para a sociedade: o direito digital”.

“A Vieira Advogados é o parceiro certo, na hora certa. Dificilmente, no mercado português, encontraríamos um projeto que ‘casasse’ tão bem com o nosso. Acresce o fator humano – estamos perante um conjunto de pessoas verdadeiramente excecionais! Não tenho a menor dúvida que esta equipa será uma grande mais-valia para o nosso escritório”, nota Fernando Antas da Cunha.

O managing partner da Antas da Cunha acrescenta que quando conheceu Nuno da Silva Vieira percebeu imediatamente que o desfecho seria “inevitável”. “Quando se comunga dos mesmos valores e se tem a mesma ambição – a de praticar uma advocacia de proximidade, ‘fora da caixa’ e com real valor acrescentado para o cliente -, é tudo muito fácil. Foi o caso!“, explica.

Fundada em 2012 por Nuno da Silva Vieira, a Vieira Advogados é uma “boutique” de direito empresarial e direito penal económico, com sede em Braga e tem know-how no que toca à área de direito digital. No âmbito desta operação transitam para a Antas da Cunha ECIJA, seis advogados e dois administrativos.

O managing partner da Vieira Advogados, confessa que o convite foi irrecusável. “Há poucas sociedades de advogados em Portugal com a dimensão humana, a qualidade técnica, a cultura societária e o espírito empreendedor que esta tem. É uma firma com um percurso verdadeiramente notável. Com uma prática “full- service”, tem vindo a especializar-se numa área que há muito defendo ser crítica para as empresas e para os gestores: o direito digital”, explica Nuno da Silva Vieira.

O advogado concluiu afirmando que o direito digital é uma das áreas do direito em “ascenção no mercado jurídico”. “Ao longo dos últimos anos acompanhámos de perto a sua evolução. Estivemos envolvidos em inúmeros projetos, em Portugal e no estrangeiro. Criámos soluções pioneiras e inovadoras. Acumulámos experiência e conhecimento. É essa experiência e esse conhecimento que queremos e iremos colocar ao serviço desta ‘casa’. Não tenho a menor dúvida que, muito em breve, a Antas da Cunha ECIJA será uma referência incontornável, no que toca ao direito digital!”.

Isabel Araújo Costa e Daniela Guimarães, sócias da Vieira Advogados, irão, respetivamente, reforçar a área de prática de direito laboral da sociedade e liderar a recém-criada área de prática de direito europeu e contencioso financeiro.

Com a extensão da sua atividade ao Minho, a Antas da Cunha ECIJA fortalece a sua presença a norte, onde já possui um escritório no Porto, e torna ainda mais efetiva a sua proximidade ao cluster tecnológico da região.

Mais do que nós, serão os nossos clientes, os mais beneficiados com esta fusão. Tudo o que fazemos, todas as decisões que tomamos, é a pensar neles e na melhoria do serviço que lhes prestamos. Com eles do nosso lado, certamente atingiremos aquele que é o nosso maior objetivo para os próximos 5 anos: fazer parte do ‘top 10’ da advocacia portuguesa!”, remata Fernando Antas da Cunha.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fusão. Antas da Cunha ECIJA integra Vieira Advogados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião