Morreu o historiador e colunista Vasco Pulido Valente

  • ECO
  • 21 Fevereiro 2020

Vasco Pulido Valente tinha 79 anos e morreu esta sexta-feira no hospital onde se encontrava internado.

Vasco Pulido Valente, historiador e colunista português morreu esta sexta-feira, no hospital em Lisboa onde estava internado, avança o Público que cita fonte familiar. Tinha 79 anos.

Escritor e cronista, Vasco Pulido Valente nasceu Vasco Valente Correia Guedes, em Lisboa, a 21 de novembro de 1941. Por não gostar do seu nome, optou por outro quando tinha cerca de 17 anos. Licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Letras de Lisboa e doutorou-se em História pela Universidade de Oxford.

Ao longo da sua vida colaborou com várias publicações como o Público, Expresso, Diário de Notícias e O Independente. Foi ainda comentador da TSF, da Rádio Comercial e da TVI.

Foi também co-argumentista dos filmes O Cerco, de António da Cunha Telles e Aqui d’El Rei!, de António Pedro Vasconcelos e argumentista do filme O Delfim, de Fernando Lopes.

Da sua autoria constam obras como A revolta do grelo (1974), Uma educação burguesa… (1974), As duas táticas da monarquia perante a revolução (1974), O poder e o povo: A revolução de 1910 (1976), O País das Maravilhas (1979), Estudos sobre a crise nacional (1980), Tentar perceber (1983) ou Às avessas (1990).

O seu percurso também passou pelo ensino. Lecionou no Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa, no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa e na Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Morreu o historiador e colunista Vasco Pulido Valente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião