Multimilionários na China superam norte-americanos. Já são quase 800

A região denominada como "Grande China", que inclui Taiwan e Hong Kong, criou 182 novos multimilionários num ano.

O número de novos multimilionários na China cresceu a um nível recorde até 31 de janeiro deste ano, ultrapassando aqueles nos Estados Unidos. Numa altura em que o surto do novo coronavírus afeta a economia chinesa, há empresas, nomeadamente de serviços online e de medicamentos, que valorizam.

A região denominada como “Grande China”, que inclui Taiwan e Hong Kong, criou 182 novos multimilionários num ano, até 31 de janeiro, elevando o total para 799, de acordo com a lista da Hurun, citada pela Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês). Este número compara com os 59 novos multimilionários dos EUA.

Atualmente, a China tem mais multimilionários do que os EUA e a Índia juntos, apontou o presidente da Hurun Report. São 629 nos Estados Unidos e 137 na Índia. Embora o novo coronavírus tenha afetado a segunda maior economia do mundo, também aumentou as avaliações de empresas chinesas em educação e jogos online, bem como aquelas especializadas na área da vacinação.

A tecnologia foi a principal fonte de riqueza no ano passado. Quando se olha para a lista global dos mais ricos, o fundador da Amazon Jeff Bezos continua a liderar, com uma fortuna de 140 mil milhões de dólares. O primeiro multimilionário chinês a aparecer na lista é Jack Ma, cofundador do grupo Alibaba, no 21.º lugar.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Multimilionários na China superam norte-americanos. Já são quase 800

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião