Enfermeiros que deixam de ser chefes voltam ao início da carreira

  • ECO
  • 27 Fevereiro 2020

Na prática, é como se regressassem ao início da carreira, uma vez que não ficam posicionados na categoria de especialista, nem de gestor, mas sim na de enfermeiros.

Os enfermeiros estão a ser confrontados com o facto de, após vários anos de profissão e de exercerem funções de chefia, regredirem para a categoria mais baixa se deixarem esse cargo. De acordo com o Público (acesso pago), isso acontece devido à transição para a nova carreira especial de enfermagem, que aconteceu no ano passado.

Para serem chefes, têm de ser especialistas, mas, se deixarem esse cargo de liderança, voltam à categoria mais baixa, a de simples enfermeiro. Na prática, é como se regressassem ao início da carreira, uma vez que não ficam posicionados na categoria de especialista, nem de gestor (esta última criada recentemente), mas sim na de enfermeiros, explica a coordenadora da unidade de cuidados na comunidade de Odivelas, Isabel Nunes.

A nova carreira prevê uma nova categoria, de enfermeiro-gestor, mas poderem “encaixar” nesta categoria, estes profissionais têm de se submeter a concursos que não acontecem muitas vezes. Dizem, assim, estarem a ser “despromovidos de modo grosseiro” e “desqualificados de forma lesiva”. São vários os enfermeiros afetados por esta medida e até já foi organizado um grupo que já se queixou à Provedora de Justiça e ao Presidente da República.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Enfermeiros que deixam de ser chefes voltam ao início da carreira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião