Bolsas europeias voltam às quedas. Lisboa perde mais de 0,5%

Após um arranque de sessão no verde, os principais índices bolsistas do Velho Continente retomaram as quedas da semana passada e que ultrapassam os 3% no caso de Itália.

A bonança durou pouco nas bolsas europeias. Após um arranque de sessão no verde, os principais índices bolsistas do Velho Continente retomaram as quedas da semana passada e que ultrapassam os 3% no caso de Itália. O PSI-20 também inverteu de sentido e já perde mais de 0,5%, no dia em que foram confirmados os primeiros casos de contágio em território nacional.

No quadro europeu, o índice de referência da bolsa nacional ainda assim apresenta as perdas mais limitadas a nível europeu. O PSI-20 recua 0,63%, para os 4.735,91 pontos, o que compara com o índice da bolsa de Milão que sofre as perdas mais dilatadas: 3,49%. Já o Stoxx 600 — índice que agrega as principais capitalizações bolsistas europeias — cai 1,3%.

O recuo das bolsas acontece no mesmo dia em que a OCDE reviu em baixa as suas estimativas para a economia a nível global, que deverá apenas crescer 2,4%, em 2020, em resultado do impacto económico do surto do novo coronavírus. Também a Zona Euro não escapou a essa revisão em baixa, com a entidade liderada por Angel Gurría a cortar para 0,8% a previsão de crescimento para a região. A OCDE antecipa mesmo que no primeiro trimestre do ano a economia mundial sofra um crescimento negativo.

Dados divulgados esta segunda-feira mostram que a produção industrial já está a ser afetada, com cortes de abastecimento e stocks em mínimos de modo a satisfazer da melhor forma a procura.

Nesse quadro, a banca é a que está a ser mais penalizada a nível europeu, sofrendo perdas de mais de 3% no caso dos títulos do setor que integram o Stoxx 600.

Por Lisboa, o BCP acompanha esse movimento, com os seus títulos a recuarem 2,52%, para os 15,84 cêntimos. A pesar em Lisboa, estão também as ações da Jerónimo Martins, que caem 1,29%, para os 15,7 euros, bem como as dos títulos da EDP Renováveis que deslizam 0,98%, para o 12,08 euros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bolsas europeias voltam às quedas. Lisboa perde mais de 0,5%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião