Empresas e famílias ricas viram-se para jatos privados para fugir ao coronavírus

As empresas de jatos privados têm sido procuradas por grandes empresas e famílias mais ricas, que procuram evitar a exposição ao novo coronavírus durante as viagens.

O novo coronavírus está a espalhar-se pelo globo, e são várias as empresas que têm tomado iniciativa para retirar trabalhadores de zonas afetadas, nomeadamente da China e do sul da Ásia. Como? Jatos privados têm-se apresentado como uma solução para muitas delas.

Mas não são só as grandes empresas que estão a recorrer a esta solução. As empresas de jatos privados também têm sido procuradas por famílias mais ricas, para evitar voos comerciais e aeroportos cheios, escreve o The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês).

Inicialmente, os pedidos eram mais focados para a evacuação de pessoal dos países do sul da Ásia, aponta o CEO da PrivateFly, uma empresa de jatos privados. Mas à medida que o surto foi ganhando outra dimensão, apareceram mais clientes preocupados que queriam evitar a possível exposição ao vírus durante as viagens.

Em janeiro, o número de voos em jatos privados que partiram de Hong Kong para a Austrália e América do Norte disparou 214% face ao mesmo período do ano anterior, de acordo com a empresa de monitorização de aviação WingX.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas e famílias ricas viram-se para jatos privados para fugir ao coronavírus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião