Covid-19: BCE adota “precauções operacionais” até 20 de abril

  • Lusa
  • 4 Março 2020

O BCE vai adotar algumas "precauções operacionais" devido à epidemia de coronavírus, incluindo a restrição das viagens não essenciais do comité executivo e de outros membros até 20 de abril.

O Banco Central Europeu (BCE) vai adotar algumas “precauções operacionais” devido à epidemia de coronavírus, incluindo a restrição das viagens não essenciais do comité executivo e de outros membros do pessoal até 20 de abril, foi esta quarta-feira anunciado.

O BCE informou também que vai adiar as conferências previstas para a sua sede central, com exceção para a conferência de imprensa depois da reunião de política monetária do conselho de governadores, na qual participam a presidente da instituição, Christine Lagarde, e o vice-presidente, Luís de Guindos. As visitas não essenciais, incluindo o programa de visitas de grupos, também estão suspensas até 20 de abril, adianta o BCE.

O comité executivo do BCE aprovou estas medidas “como precaução para proteger o seu pessoal de riscos associados com a propagação do coronavírus, Covid-19“. “Com as medidas de hoje damos passos para assegurar a segurança e o bem-estar do nosso pessoal, enquanto mantemos um banco central completamente operacional, bem como a supervisão bancária”, afirmou Lagarde.

Estas medidas baseiam-se em guias internas que já existem no BCE e na comunicação constante com o pessoal ao qual aconselham sobre o vírus”, adiantou Lagarde.

O surto, detetado em dezembro na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3.200 mortos e infetou mais de 93 mil pessoas em 78 países, incluindo cinco em Portugal. Das pessoas infetadas, cerca de 50 mil recuperaram. Além de 2.983 mortos na China, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América e Filipinas.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) confirmou cinco casos de infeção, dos quais quatro no Porto e um em Lisboa. A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: BCE adota “precauções operacionais” até 20 de abril

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião